Estudantes têm novos representantes no Conselho Geral da U.Porto

Inês Azevedo Silva, Diogo Pimenta, Diogo Martins e Marcos André Teixeira vão representar os estudantes da U.Porto naquele que é um dos mais importantes órgãos de decisão da Universidade. (Foto: DR)

Inês Azevedo Silva, Diogo Pimenta, Diogo Martins e Marcos André Teixeira são os nomes dos quatro estudantes que irão representar os seus pares no Conselho Geral da Universidade do Porto durante os próximos dois anos.

Os quatro foram os nomes mais votados pelos estudantes da U.Porto na eleição de 23 de abril que determinou os representantes do corpo estudantil para o mandato 2018-2020 naquele que é um dos mais importantes órgãos de decisão da Universidade.

Um total de 2355 votantes participaram neste ato eleitoral, tendo as três listas candidatas reunido 2218 votos (aos quais se acrescentam 44 votos brancos e 93 nulos). A Lista C foi a mais votada, reunindo 1131 votos, seguida da Lista A com 824 e da Lista B com 263.

Desta forma, aplicado o método de Hondt e reordenados os candidatos de acordo com o número de votos individuais, os resultados oficiais do escrutínio determinaram a eleição dos seguintes candidatos:

Inês Azevedo da Silva (FMUP), pela Lista C, com 722 votos;

Diogo Manuel Rebelo de Azevedo Seabra Pimenta (FEUP), pela Lista A, com 415 votos;

Diogo António Costa Martins (FEUP), pela Lista C, com 156 votos;

Marcos André Alves Teixeira (FFUP), pela Lista A, com 289 votos.

A data da tomada de posse dos novos eleitos será marcada em breve, altura em que irão render os atuais representantes dos estudantes no Conselho Geral: Ana Rita Ramalho (FMUP), Francisco Vieira (FMUP), João Nunes (ICBAS) e José Nunes (FEUP).

Recorde-se que o Conselho Geral é um dos órgãos máximos de governo da Universidade do Porto, participado por representantes de todos os grupos da comunidade académica: 12 docentes ou investigadores, quatro estudantes e um colaborador não docente, para além de seis personalidades externas à Universidade. Entre as suas competências estão, por exemplo, a eleição do Reitor e a aprovação das linhas gerais de orientação da instituição no plano científico, pedagógico, financeiro e patrimonial.