Estudantes de Belas Artes levam “dicotomia entre a ruína e o digital” ao ISPUP

matou_expA primeira exposição do ano a estar patente na galeria Painel do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP) intitula-se “Matou” e inaugura no próximo dia 1 de fevereiro.

A galeria Painel traduz-se num projeto promovido por estudantes da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto (FBAUP), em colaboração com ISPUP, que durante todo o ano promove uma série de exposições de entrada livre para toda a comunidade.

“Matou” dá continuidade à proposta delineada para o projeto Painel no ano anterior: possibilitar o diálogo e a discussão de trabalhos entre pessoas de interesses e áreas diversas, através da existência de um denominador comum – uma palavra retirada de uma frase que vai sendo desvendada ao longo do Projeto.

“Utilizando a palavra “matou” como mote, propôs-se uma exposição centrada no trabalho de dois recém-formados designers – Nuno Maio e Sílvia Reis – que, recorrendo à elaboração narrativa, propõem uma abordagem instalativa que explora a dicotomia entre a ruína e o digital”, explica a equipa da Painel. Por sua vez, Pedro Huet fica encarregue do cartaz, enquanto Rita Queiroga responde ao desafio através do campo da palavra.

A relação entre as diferentes propostas e o diálogo estabelecido entre os trabalhos, contribui para a construção de uma narrativa que se apresenta como motivo para uma visita questionadora, emancipada e interventiva.

A Inauguração de “Matou” está marcada para as 18h00. Com entrada livre, a exposição pode ser ser visitada até 12 de fevereiro, de segunda a sexta-feira, das 08h30 às 20h00.

Sobre o programa de artes plásticas – Galeria Painel

O programa de artes plásticas resulta da parceria estabelecida entre o ISPUP e a FBAUP, com o objetivo de estimular a exibição regular de reportório de matriz pluridisciplinar. A programação pretende-se diversa, rigorosa e participativa, para além de desejar contribuir para a fomentação de um espírito de debate, partilha e experimentação das práticas artísticas contemporâneas, tanto na Universidade, como na cidade do Porto.

Estabelecer uma ligação entre a Arte e a Saúde Pública é também uma preocupação que está sempre presente, embora nem sempre seja exposta a olho nu. Desta forma, o programa cultural impulsiona a promoção de artistas recém-licenciados ou ainda estudantes da U.Porto.