Estudantes da U.Porto mortos na Grande Guerra recordados ao piano

Estima-se que mais de uma dezena de estudantes da U.Porto tenham perdido a vida na Grande Guerra. (Foto: Joshua Benoliel / Arquivo Municipal de Lisboa)

Tendo como pano de fundo as comemorações do centenário do final da I Guerra Mundial, a Universidade do Porto vai assinalar a efeméride esta quarta-feira, dia 14 de novembro, com uma homenagem aos seus estudantes que morreram durante o conflito.

A decorrer a partir das 18h00, no edifício da Reitoria, a iniciativa inclui o descerramento de uma placa comemorativa, oferecida pela Liga dos Combatentes,  junto ao Monumento aos Estudantes da Universidade mortos na Guerra de 1914-1918.

Homenagem inclui o descerramento de uma placa comemorativa junto ao Monumento aos Estudantes da Universidade mortos na Guerra de 1914-1918, inaugurado em 1948. (Foto: U.Porto)

Esta homenagem simbólica sucede a outras que, ao longo do último século, têm vindo a recordar, na “casa mãe” da Universidade, os vários estudantes da instituição – não se sabe o número ao certo, mas estima-se que tenham sido mais de uma dezena – que perderam a vida em combate. A primeira teve lugar em 1920, ano em que foram descerradas duas placas de mármore na escadaria nobre do edifício da então Faculdade de Ciências. Já em 1937, as comemorações do centenário da Academia Politécnica do Porto e da Escola Médico-Cirúrgica do Porto serviram de pretexto para o arranque da construção do monumento – conhecido como A Universidade, A Santa ou A Sabedoria – concebido pelo escultor João Silva e que está hoje exposto junto à escadaria do Museu de História Natural e da Ciência da U.Porto.

Recital de piano será interpretado por Ionut Diaconu, considerado um dos mais promissores jovens pianistas romenos da atualidade. (Foto: DR)

O descerramento da placa servirá também de “aperitivo” para um recital de piano que inclui uma rara apresentação integral da suíte para piano solo “Le Tombeau de Couperin“, obra emblemática de Maurice Ravel (1875-1937), escrita em homenagem aos amigos do compositor francês mortos em combate durante a Primeira Guerra Mundial.

A interpretação cabe a Ionut Diaconu (1988), estudante da Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo (ESMAE) e considerado um dos mais promissores jovens pianistas romenos da atualidade.

Este será o sétimo concerto “oferecido” à cidade no âmbito do Ciclo de Música com Piano, promovido pela U.Porto, em parceria com o Instituto Politécnico do Porto (PP).

Com entrada livre, o recital tem início às 18h30, na Biblioteca do Fundo Antigo, e será apresentado por Constantin Sandu, docente da ESMAE.

Mais informações aqui.