Estudantes da U.Porto colaboram no lançamento do WikiTribune Português

Estudantes da U.Porto, com Jorge Marinho, professor da FLUP e grande impulsionador do projeto, (Foto: DR)

Em 2017, o norte-americano Jimmy Wales, cofundador da WIkipedia, decidiu combater o problema das fake news que circulam na internet, através do lançamento de uma plataforma noticiosa colaborativa que reunia jornalistas, profissionais da comunicação e escritores voluntários. Nascia assim o Wikitribune, o projeto que, dois anos depois, acaba de chegar a Portugal pelas mãos de um grupo de estudantes de Ciências da Comunicação da Universidade do Porto.

A ideia começou a nascer em setembro de 2018, a partir de um desafio lançado pelo docente Jorge Marinho aos estudantes da disciplina de Semiótica da Comunicação. Este passava por desenvolver um trabalho académico de investigação com foco na importância dos signos, e que incluía criar um logótipo para a versão inglesa do WikiTribune.

O projeto motivou um primeiro contacto com Jimmy Wales, que, em 2019, concordou que os estudantes continuassem a colaborar com o WikiTribune, desta vez no âmbito de outra pesquisa académica, inserida na disciplina de Públicos e Audiências: estudar, em termos teóricos, o jornalismo colaborativo e, com uma vertente prática, publicar artigos no WikiTribune / Inglês.

Daí até ao passo final foi apenas uma questão de tempo. “Posteriormente, Jimmy Wales e a sua equipa deram-nos a possibilidade de colaborar, pioneiramente, no lançamento do WikiTribune em Português, com artigos e com algum trabalho administrativo”, recorda Jorge Marinho.

A versão portuguesa do Wikitribune foi oficialmente lançada no dia 21 de abril de 2019 com uma entrevista a Jorge Marinho e a Jimmy Wales. na qual são explicadas as bases da colaboração a colaboração entre o WikiTribune e a U.Porto. Mas não se ficou por aí. para além da referida entrevista, a edição portuguesa conta ainda com um outro artigo sobre veganismo em Portugal, estando muitos mais na forja.

Para Jorge Marinho, os benefícios para os estudantes são claros. “O WikiTribune permite aos alunos estudar por dentro, de uma forma completa, isto é, no plano teórico-prático, algo de relativamente recente – o jornalismo colaborativo. Para mim, como professor, é importante dar aos meus alunos uma formação profunda e atual, através dos trabalhos de investigação”.

Pelo meio, os estudantes puderam também testar e melhorar o uso da Língua Inglesa, uma vez que a comunicação das ações era feita para Londres, onde se encontra a equipa do WikiTribune.

Satisfeito com a colaboração com a U.Porto mostra-se também Jimmy Wales. “Senti-me honrado quando os estudantes aceitaram o convite para trabalhar comigo!”, recorda o fundador da Wikipedia, que admite que também tem aprendido com os futuros jornalistas da U.Porto. “Eu chamo à geração atual de estudantes ‘geração Wikipedia’ – o que significa que percebem as comunidades abertas e a colaboração. Quero aprender com os jovens jornalistas sobre o que funciona e o que não funciona nas ferramentas que usam para apoiar as comunidades.”

Por um jornalismo de valores… em português

Criado com o objetivo de mudar a face do jornalismo “tradicional”, o WikiTribune distingue-se por apostar no jornalismo colaborativo, onde a interação entre os autores e os seus públicos se eleva e onde se forma uma (ciber)comunidade. “Respeitando, à partida, os sítios noticiosos alternativos, o WikiTribune, em Inglês e em Português, com trabalho honesto, dedicação, inovação, criatividade, competência, entre outros aspetos, pode melhorar a curto, médio e longo prazo”, defende Jorge Marinho.

Já para Jimmy Wales, o combate por um jornalismo de qualidade “tem de vir com um novo conjunto de valores de cooperação, colaboração, e diálogo calmo e ponderado, em vez de se caçar cliques”. Para tal, o WikiTribune não faz a distinção entre “jornalista cidadão” e um jornalista profissional. “A igualdade é necessária, caso contrário acabaríamos onde todos os outros sítios de notícias estão – numa espécie de cultura ‘de cima para baixo’ que não ajuda”.

O WikiTribune é por isso uma plataforma aberta à participação de todos. Mas com condições. “O meu objetivo é aproximar uma grande comunidade global de pessoas criteriosas que se importam com as notícias e trabalhar com jornalistas profissionais para produzir algo novo”, explica o fundador do projeto.

Já sobre a relevância de uma versão portuguesa do WikiTribune, Jorge Marinho lembra que o português é a “quarta língua mais falada no mundo” (por 261 milhões de pessoas, dispersas pelos cinco continentes) e “a quinta com maior número de utilizadores na Internet”, sendo que “independentemente das variantes, serviu e continua a servir como factor de união entre povos”. Os benefícios, esses, extravasam fronteiras e barreiras linguísticas. “Para o WikiTribune, em todas as suas línguas, deve ter uma importância máxima o serviço que pode prestar à sociedade local, nacional e internacional / global e, deste modo, contribuir para o progresso da Humanidade”.