Estudantes da FAUP vão “criar” uma nova casa para a Barbie

Propostas serão avaliadas de acordo com a sua originalidade, potencialidade educativa, exequibilidade e qualidade gráfica. (Foto: DR)

É a boneca de sonho de muitas crianças e adolescentes e, durante mais de meio século, teve uma casa a condizer. Mas porque os tempos evoluem, também a Barbie “anunciou” que quer mudar de casa e procura um arquiteto para a sua nova “Dreamhouse”… É esse o desafio que os estudantes da Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto (FAUP) vão procurar responder através de um concurso inédito, promovido pela FAUP em parceria com a Mattel Portugal, com o apoio da Associação de Estudantes da Faculdade de Arquitetura (AEFAUP).

Lançado no passado dia 14 de outubro, o concurso para “Uma Nova Casa para a Barbie” resulta de um desafio colocado à FAUP pela Mattel Portugal no sentido de “criar uma parceria em redor do tema da casa”. Em resposta surgiu a “ideia de lançar um concurso aberto aos estudantes. A proposta foi aceite e há alguns meses começaram os trabalhos de preparação que levaram à abertura do concurso”, explica Marco Ginoulhiac, professor da FAUP responsável pela disciplina de “Architectural toys” e cuja investigação se centra nos processos educativos em Arquitectura.

Ao colocar os estudantes de uma das mais prestigiadas escolas de Arquitetura do mundo a “brincar” com a sua arte, a  FAUP e a Mattel pretendem assim estimular e premiar a criatividade dos futuros arquitetos por via da interpretação do tema da casa de bonecas como objeto lúdico e educativo. Já para Marco Ginoulhiac esta é “uma oportunidade para pensar e atuar em outros âmbitos da arquitetura e no seu poder e papel educativo”, motivo pelo qual espera “uma forte adesão e interesse” por parte dos estudantes.

Uma casa funcional, de formas sóbrias à moda da “Escola do Porto”. Ou então uma penthouse de varias assoalhadas, povoada de piscinas e salões de festa em cor-de-rosa berrante. Os limites serão apenas os da imaginação dos estudantes que, individualmente ou em grupos de três elementos, se quiserem candidatar a redesenhar a casa que a Mattel “ergueu” pela primeira vez em1962. Em qualquer dos casos, os projetos devem incluir uma maqueta, a indicação de dimensões e materiais a utilizar, ou a explicação do sistema de montagem e/ou construção da casa, como se de um “verdadeiro” projeto de arquitetura se tratasse (ver regulamento).

As propostas vão ser avaliadas e classificadas pelos membros do júri – constituído por professores da FAUP, da Escuela Técnica Superior de Arquitectura de Madrid e representantes da ARX Portugal e da MATTEL – de acordo com a sua originalidade, potencialidade educativa, exequibilidade e qualidade gráfica. Aos autores das três melhores  propostas serão atribuídos um computador portátil MacBook Pro, um telemóvel Iphone 4S  e um IPad 16 GB, respetivamente. Em aberto está também a hipótese de um dos projetos vir a “inspirar” a futura “Dreamhouse” da Barbie. “Tendo no juri a design manager da Mattel internacional não admira nada que alguma coisa possa ser aproveitada para o futuro”, adverte Marco Ginoulhiac.

O concurso é aberto a todos os estudantes da FAUP inscritos no Mestrado Integrado em Arquitetura e a estudantes estrangeiros que estejam a estudar na faculdade ao abrigo de protocolos de mobilidade. Os interessados devem inscrever-se na sede da AEFAUP, até às 17h00 do dia 15 de novembro de 2013. A entrega  das propostas terá de ser feita até às 17h00 horas do dia 14 de fevereiro de 2014.

Mais informações aqui.

  • Tiago Restivo

    Espanta-me que ninguém se insurja nesta mesma página quanto ao conteúdo desta “notícia”. Ninguém lê? Ninguém acha isto ridículo? Eu acho.