Estudante da U.Porto em missão de apoio às vítimas de terramoto em Itália

Tiago Sousa aproveitou a pausa nas aulas da FEP para se voluntariar no European Solidarity Corps.

Se há quem aproveite as férias para retemperar forças para os restantes meses do ano, há quem faça do tempo livre razão para ajudar o próximo. Foi o que fez Tiago Sousa, estudante da Faculdade de Economia da U.Porto (FEP), que se encontra a participar na missão do European Solidarity Corps em Norcia, localidade italiana que no último ano tem sido atingida por vários sismos que causaram um total de 300 mortos e 15.000 desalojados em todo o país.

Ao longo de um mês, Tiago Sousa e algumas dezenas de outros jovens voluntários oriundos de toda a União Europeia estão a apoiar diretamente a população de Norcia. Como explica o estudante da FEP, o grupo está particularmente empenhados no acompanhamento das crianças da região: “Ensinamos línguas, partilhamos experiências culturais e, acima de tudo, divertimo-nos – porque depois de tal tragédia, as crianças precisam de sorrir”.

Mas os voluntários europeus têm estado também a participar no esforço de reconstrução, ajudando à construção de estruturas para atividades infanto-juvenis e à reconstrução das dezenas de edifícios históricos e do rico património cultural danificado pelos sucessivos sismos.

Jovens de toda a União Europeia integram esta missão de apoio à população de Norcia.

Contudo, é no apoio direto à população que se centra a missão do European Solidarity Corps, um programa de voluntariado para jovens europeus dos 18 aos 30 anos de idade, organizado pela Comissão Europeia. “Falamos diariamente com os residentes e reportamos as suas necessidades às autoridades de Norcia, com quem nos reunimos frequentemente para apontar sugestões de âmbito económico, de segurança e outros para a sustentabilidade da reconstrução”, explica Tiago Sousa.

Adicionalmente, os voluntários do European Solidarity Corps têm organizado vários eventos dirigidos à população de Norcia, desde um torneio de Briscola (jogo de cartas de que a bisca portuguesa é uma variante) para os residentes mais idosos até a uma cerimónia de homenagem às vítimas no aniversário do primeiro sismo que assolou a região, a 24 de agosto de 2016.

A participação de Tiago Sousa neste projeto começou com a sugestão de um amigo. Depois de terminada a licenciatura em Economia e antes de iniciar o mestrado em Finanças, ambos na FEP, Tiago Sousa procurava um projeto de voluntariado e o European Solidarity Corps foi-lhe sugerido como uma oportunidade para atingir esse objetivo.

Grande parte do trabalho dos voluntários europeus em Noria centra-se no apoio e animação às crianças da região.

Mas a vontade não chega para participar neste programa da União Europeia. “É preciso seguir um processo pré-definido”, revela o estudante da FEP. “Fiz uma candidatura online onde requeri a participação nesta missão. Após a análise do meu currículo e percurso pessoal, fui chamado para a realização de uma entrevista e só depois fui apurado para colaborar na missão”. “Estou seguro que a licenciatura pela FEP terá sido, entre outras coisas, uma das mais valias que me permitiu ser selecionado”, confessa Tiago Sousa.

Todo este trabalho tem a sua recompensa em Norcia. Apesar das naturais saudades da família e amigos, Tiago Sousa reconhece que “a experiência é suficientemente gratificante para superar tudo isso”. “Em Norcia somos tratados como verdadeiros heróis. Todos nos agradecem de forma sincera, apesar de estarmos nesta missão de forma altruísta e com desprendimento”.

E não é só a população de Norcia que recolhe benefícios desta missão. Também os voluntários do European Solidarity Corps lucram com esta experiência: “É um momento marcante na minha vida, algo que me abre novos horizontes e que me faz crescer enquanto pessoa. Sinto que é uma das melhores oportunidades que se pode ter e eu tive-a no tempo certo”, assume Tiago Sousa.

A missão do European Solidarity Corps em Norcia tem merecido bastante relevo junto da população e autoridades locais, tendo já sido objeto de várias reportagens nos meios de comunicação social regionais e nacionais.