Está aí a Queima das Fitas do Porto

De chapéu ou cartola, de bengala ou de “burrico”, o cortejo mantém-se até hoje como ponto alto das celebrações da Queima das Fitas do Porto, a maior festa académica do País.  (Foto: Egídio Santos / U.Porto)

Para muitos estudantes, é chegada a altura de recordar com saudade a academia que agora fica para trás, para outros tantos, este é apenas o final da primeira etapa de um percurso que ainda vai no início. Comum a todos será, certamente, o cenário de festa, música e alegria que voltam a colorir a cidade do Porto de 7 a 14 de maio, durante mais uma edição da Queima das Fitas, a grande festa dos estudantes da Invicta.

Como manda a tradição, a festa estudantil organizada pela Federação Académica do Porto (FAP), tem início às 00h01 de domingo, 7 de maio, na Avenida dos Aliados, onde se aquecem vozes e afinam-se guitarras para a Monumental Serenata. Além dos concertos que decorrem no Queimódromo, junto ao Parque da Cidade, há um programa de atividades que se prolonga durante toda a semana, um pouco por toda a cidade.

Na manhã de domingo, pelas 11h01, celebra-se a Missa da Bênção das Pastas, na Avenida dos Aliados. À noite, a Aula Magna da Universidade Portucalense recebe a 20.ª edição do Encontro de Coros da Academia do Porto.

Na segunda-feira, 8 de maio, centenas de estudantes juntam-se para recolherem donativos para causas de solidariedade social, no chamado Dia da Beneficência. O segundo dia da Queima das Fitas termina com o Concerto Promenade no Coliseu do Porto, que será dirigido pela Orquestra do Norte e vai ter a participação do Ensemble Vocal Pro Música.

Bengalas e cartolas no ar e muitas fitas a abanar ao som do vento. O momento alto da Queima das Fitas acontece na terça-feira, 9 de maio, quando milhares de estudantes percorrerem o Centro do Porto no tradicional Cortejo Académico.

Os dois dias seguintes têm lugar em duas salas emblemáticas da cidade portuense. A 10 de maio, o Coliseu do Porto recebe a 30.ª edição do FITA – Festival Ibérico de Tunas Académicas, e na quinta-feira, 11 de maio, é a vez do Teatro Sá da Bandeira receber o Sarau Cultural¸ num espetáculo que vai receber atuações de música, dança, teatro e comédia.

A 12 de maio, o restaurante Casa dos Arcos recebe, a partir das 20h01, o Baile de Gala, uma atividade especial para os estudantes finalistas. No penúltimo dia da Queima, a 13 de maio, realiza-se pelas 17h01, o Chá Dançante, no Solar das Suecas. A Queima das Fitas 2017 termina no dia seguinte com o Rally Paper que irá percorrer as ruas do Grande Porto.

Recorde-se que a Queima das Fitas do Porto tem as suas origens nos anos 20 do século XX, mas foi em 1946 que as faculdades de Ciências, Medicina, Engenharia e Farmácia da U.Porto protagonizaram o primeiro cortejo académico em conjunto. Interrompida de 1971 a 1978, a Queima das Fitas do Porto voltaria a instituir-se como uma das maiores festas estudantis do país.