Equipa da U.Porto volta a ganhar concurso mundial do IEEE

O investigador do INESC TEC, Leonel Carvalho (à dir.), apresentou publicamente a abordagem vencedora e recebeu o diploma comprovativo das mãos dos responsáveis pela organização. (Foto: DR)

Leonel Carvalho (investigador do INESC TEC) e Vladimiro Miranda (professor na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto e administrador do INESC TEC) voltaram a ganhar uma competição internacional organizada pela maior associação profissional do mundo, o Institute of Electrical and Electronics Engineers (IEEE).

A competição, denominada “Application of Modern Heuristic Optimization Algorithms for Solving Optimal Power Flow Problems”, tinha como objetivo apurar os melhores algoritmos de solução de problemas de otimização muito exigentes, complexos, de natureza discreta e altamente não-lineares, no contexto do controlo e operação de sistemas e redes elétricas, recorrendo ao uso de meta-heurísticas.

A competição já tinha sido ganha pelos dois investigadores na edição anterior, em 2014. Na altura, Leonel Carvalho e Vladimiro Miranda apresentaram uma versão evoluída do EPSO – Evolutionary Particle Swarm Optimization, criado no INESC TEC. Os investigadores recorreram a um algoritmo originalmente desenvolvido por Vladimiro Miranda no INESC TEC e que tinha sido publicado em 2002 no World Conference on Computational Intelligence do IEEE para resolver o exercício proposto.

Agora, três anos depois, a Power & Energy Society do IEEE organizou novo concurso, sob o tema “Evaluating the Performance of Modern Heuristic Optimizers on Smart Grid Operation Problems”, e a dupla, reforçada com o também investigador do INESC TEC Jean Sumaili, e com a cooperação de Armando Leite da Silva, Carolina Marcelino e Elisabeth Wanner do Brasil, voltou a dominar.

A competição contou com a participação de mais de 30 equipas, provenientes de centros de investigação e universidades de todo o mundo, e foi dividida em duas categorias: uma, mais volumosa, designada Stochastic OPF Based Active‐Reactive Power Dispatch, com seis problemas de otimização, e outra, designada Optimal Scheduling of Distributed Energy Resources, com dois problemas apenas.

O algoritmo que provou ter melhor desempenho na primeira categoria foi o dos investigadores portugueses. Trata-se de um híbrido com base no EPSO, complementado por um processo de Cross Entropy. E, na categoria complementar, os portugueses também ficaram no pódio, em terceiro lugar.

Além disso, no top cinco de ambas as categorias, aparecem sempre três concorrentes que se submeteram a concurso com variantes do EPSO que a equipa portuguesa havia apresentado em 2014 – demonstrando como se está a generalizar a adoção mundial da metodologia criada originalmente em Portugal.

Este conceito EPSO, que foi proposto originalmente em 2002, forma a base de algumas das soluções tecnológicas que o INESC TEC implementou para empresas do setor elétrico – por exemplo, no controlo da rede de distribuição da região da Ática (Atenas) na Grécia.

Os resultados, que prestigiam altamente o INESC TEC, a FEUP e a Universidade do Porto, foram anunciados durante o General Meeting do IEEE PES, em sessão que decorreu dia 17 de julho em Chicago, nos Estados Unidos.