E-learning Café do Jardim Botânico vence Prémio Nacional de Reabilitação

E-Learning Café - Botânico (equipa)

Projeto de remodelação da Casa Salabert foi liderado pelo arquiteto Nuno Valentim, professor da FAUP (ao centro). (Foto: Egídio Santos / U.Porto)

obra de reabilitação da Casa Salabert, onde está instalado o e-Learning Café da Universidade do Porto no Jardim Botânico do Porto, é a vencedora da 4.ª edição do  Prémio Nacional de Reabilitação (categoria Comércio e Serviços), galardão que distingue anualmente o que se faz de melhor em Portugal no domínio da intervenção e reabilitação urbana.

Inaugurado a 12 de outubro de 2015, o e-Learning Café – Botânico resulta do projeto de remodelação da Casa Salabert, liderado pelo arquiteto Nuno Valentim, professor da Faculdade de Arquitetura da U.Porto (FAUP) e autor da renovação da “vizinha” Casa Andresen, e que envolveu também os arquitetos e antigos estudantes da FAUP, Margarida Carvalho e Frederico Eça. Nele procurou-se preservar e, ao mesmo tempo, potenciar as características de um lugar de forte identidade e valor simbólico ao nível do património arquitetónico, paisagístico e cultural, ou não fosse um espaço de referências da vida e obra da escritora Sophia de Mello Breyner Andresen.

E-Learning Café – Botânico, Casa Salabert

O novo e-Learning Café – Botânico da U.Porto fica situado na Casa Salabert, em pleno Jardim Botânico do Porto. (Fotos: Egídio Santos / U.Porto)

Aberto a todos os estudantes da Universidade do Porto e explorado pelos Serviços de Ação Social da U.Porto (SASUP), o e-Learning Café – Botânico disponibiliza à comunidade académica quatro salas equipadas para o trabalho individual ou em grupo, bem como o acesso a 20 computadores portáteis e à internet de alta velocidade, através da rede wireless da Universidade (eduRoam). Nos momentos de pausa, os estudantes podem ainda usufruir de amplas áreas de convívio/lazer e de um espaço para aquecer refeições ligeiras.

Entre os vencedores da edição 2016 do Prémio Nacional de Reabilitação Urbana destaca-se ainda o projeto de reconversão do Palácio do Bolhão (Teatro do Bolhão) – para sede da Academia Contemporânea do Espectáculo (ACE!) -, da autoria dos arquitetos José Gigante (professor da FAUP), João Gomes e Manuel Fernando Santos, distinguido como “melhor intervenção com impacto social” do ano.

O Prémio Nacional de Reabilitação Urbana é uma iniciativa da Vida Imobiliária e da Promevi que vai distinguir as intervenções urbanas de maior valia para a sociedade nas suas múltiplas valências. Par além dos dois projetos portuenses, a edição deste ano premiou ainda os projetos de reabilitação do Palácio do Contador-Mor (na categoria Residencial), Pestana Pousada Lisboa (Turismo), Travessa do Abarracamento de Peniche 15 (Cidade de Lisboa) e Palácio do Raio, em Braga (Impacto Social), entre um total de 60 candidaturas.

O Júri do Prémio foi composto pelo economista e antigo Misnitra da Economia, Augusto Mateus, o engenheiro civil João Appleton, os arquitetos João Mendes Ribeiro (antigo estudante da FAUP) e João Pedro Falcão de Campos e o engenheiro Manuel Joaquim Reis Campos, Presidente da Confederação Portuguesa da Construção e do Imobiliário e antigo estudante da FEUP.

A cerimónia de entrega da 4.ª edição do Prémio Nacional de Reabilitação Urbana decorreu no Palácio Nacional da Ajuda.