Docentes da FAUP entre os nomeados para o Prémio Mies van der Rohe 2017

O Instituto de Inovação e Investigação em Saúde – I3S, da Universidade do Porto, de João Pedro Serôdio (Serôdio Furtado & Associados) é um dos projetos nomeados para aquele que é considerado um dos mais prestigiados prémios na área da arquitetura (Foto: Luís Ferreira Alves)

Dos 13 projetos portugueses nomeados para a ediçao deste ano do prestigiado Prémio de Arquitetura Contemporânea da União Europeia Mies van der Rohe, três são da autoria de docentes da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP), anunciou recentemente a Comissão Europeia e a Fundação Mies van der Rohe, que divulgaram a lista dos 356 selecionados, oriundos de 36 países.

Da autoria de docentes da FAUP, estão nomeados os projetos para o Instituto de Inovação e Investigação em Saúde – I3S, da Universidade do Porto, da autoria do arquiteto João Pedro Serôdio (Serôdio Furtado & Associados), o Museu Municipal Abade Pedrosa, em Santo Tirso, dos arquitetos Álvaro Siza e Eduardo Souto de Moura (projeto recentemente distinguido com uma Menção Especial do Júri do Prémio Nuno Teotónio Pereira 2016), e o Museu de Arte Contemporânea Nadir Afonso, em Chaves, também de Álvaro Siza.

O Museu Municipal Abade Pedrosa, em Santo Tirso, de Álvaro Siza e Eduardo Souto de Moura foi recentemente distinguido com uma Menção Especial do Júri do Prémio Nuno Teotónio Pereira (Foto: Luís Ferreira Alves)

Fazem ainda parte da lista de nomeados portugueses o projeto para a Biblioteca Pública e Arquivo Regional de Angra do Heroísmo (Inês Lobo Arquitectos), o MAAT, em Lisboa (Ateliê britânico AL_A – Amanda Levete), Casas de Campo no Trebilhadouro, Vale de Cambra (André Eduardo Tavares Arquitecto), o Camping de Abrantes (Ateliê Rua), Centro Social e Cultural Costa Nova, na Gafanha da Encarnação e o Mercado Municipal de Abrantes (ARX Portugal Arquitectos).

Completam esta lista de projetos nacionais o Solar da Porta dos Figos, em Lamego (Nória – Consultores de Engenharia SA), a Casa em Oeiras (Pedro Domingos Arquitectos), a Sede da EDP em Lisboa (Aires Mateus) e a Escola Secundária Luís de Freitas Branco, em Oeiras (Célia Gomes + Pedro Machado Costa).

O Museu de Arte Contemporânea Nadir Afonso, projetado por Álvaro Siza para acolher a obra pioneira do pintor e arquiteto flaviense, foi inaugurado em julho de 2016 (Foto: Fernando Guerra)

A lista de 356 nomeados vai ser reduzida a 40 projetos no início de 2017, sendo o vencedor conhecido em abril. A par do Prémio principal, a Fundação Mies van der Rohe vai, uma vez mais, atribuir uma menção especial para arquitetos emergentes, no valor de 20 mil euros.

Na sua primeira edição, em 1988, o Prémio foi atribuído ao arquiteto Álvaro Siza, com o edifício para o antigo Banco Borges & Irmão, em Vila do Conde.

Mais informações em www.fa.up.ptmiesbcn.com