Diretora da FMUP distinguida pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa

Maria Amélia Ferreira é professora catedrática na FMUP desde 1993

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa acaba de atribuir a Maria Amélia Ferreira o prémio Nuno Correa Verdades Faria, galardão que destaca personalidades pelo seu esforço, trabalho ou estudos desenvolvidos. O prémio, atribuído à diretora da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) na categoria “Cuidado e Carinho dispensados aos idosos desprotegidos”, pretende destacar as atividades de responsabilidade social desenvolvidas pela galardoada junto das populações idosas que vivem em ambiente rural.

Desenvolvidos no Marco de Canaveses – onde Maria Amélia Ferreira ocupa também o cargo de provedora da Santa Casa da Misericórdia –, os projetos implementados pela diretora da FMUP têm como principal objetivo “cuidar do envelhecimento” através do desenvolvimento económico e da inclusão social. Desde promover a autonomia das populações mais envelhecidas até à dinamização de medidas de prevenção, os projetos desenvolvidos pretendem, de forma geral, promover um apoio de proximidade aos idosos que, neste momento, estão em situações de maior fragilidade.

“Em Portugal o número de idosos já ultrapassou o número de jovens. Por sua vez, nas zonas rurais, as populações têm caraterísticas distintivas das urbanas – limitações de acesso aos cuidados de saúde, isolamento social, indisponibilidade de transportes – e, por isso, têm de ser tratadas de forma adequada. É, por isso, fundamental assegurar a reconfiguração das respostas para que estas sejam eficientes junto da população.”, explica Maria Amélia Ferreira. “Procuramos desenvolver soluções “à medida” que funcionem a longo prazo e que representem um compromisso social e político. Só assim será possível prevenir impactos negativos”, acrescenta.

Além de Maria Amélia Ferreira, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa destacou, também, o trabalho desenvolvido por Mariana Cruz Alves, na categoria “Progresso da Medicina na sua aplicação às pessoas idosas”, e Rui Anjos, na categoria de “Progresso no tratamento das doenças do coração”. Cada um dos galardoados receberá um prémio no valor de 12 500 euros.