Descoberta do espaço revisitada no IGUP

Exposição reúne um conjunto de pequenos artefactos autênticos da exploração espacial tripulada. (Foto: DR)

Se os portugueses tiveram que conquistar o imenso mar e os ventos para chegar aos vários cantos da Terra, os países que empreenderam a corrida ao espaço – Estados Unidos e União Soviética – tiveram de conquistar a atmosfera e a gravidade terrestre. Ao longo do mês de abril, é essa epopeia que pode ser revisitada em “Fragmentos do Espaço: a exploração espacial tripulada”, título da exposição patente no piso 1 do Instituto Geofísico da Universidade do Porto (IGUP), situado na Serra do Pilar.

A exposição baseia-se num espólio, relativamente limitado mas selecionado, de pequenos artefactos autênticos da exploração espacial tripulada. Ali, o visitante poderá encontrar desde arte e objetos decorativos do quotidiano, jornais da época a noticiar algumas das marcas importantes da década 60, revestimentos de Vaivém Espacial, até à comida e alguns objetos do dia-a-dia do astronauta.

A intenção desta pequena mostra não é tanto constituir uma exposição exaustiva da epopeia da corrida ao espaço mas antes uma breve passagem por alguns tópicos os quais aguçam o apetite do público por uma leitura mais atenta dessa epopeia marcante para toda a humanidade.

A exposição foi um dos atrativos  do evento que, no passado dia 9 de abril, fez “tremer a cidade do Porto”, no âmbito do programa “Pré-Mostra”, que antecipa a chegada da Mostra da Universidade do Porto 2017. Organizada pela Reitoria da U.Porto, em parceria com a Faculdade de Ciências (FCUP) e o IGUP, a iniciativa incluiu ainda uma visita ao edifício do Instituto Geofísico, com especial enfoque no sismógrafo histórico.

As visitas à exposição “Fragmentos do Espaço ” podem ser agendadas através do e-mail ig@fc.up.pt.