CORPO QUE TRANSito: uma performance em mobilidade internacional

Sandro Lucose, o performer e co-criador de CORPO QUE TRANSito.

Um dos 40 estudantes brasileiros que este ano realizaram um período de mobilidade na Universidade do Porto ao abrigo do programa Euro-Brazilian Windows+ vai terminar o seu período de estudos na Faculdade de Belas Artes (FBAUP) com a apresentação de uma performance com entrada livre para todo o público.

Será às 17 horas do dia 17 de maio que o Auditório da FBAUP recebe a estreia da performance CORPO QUE TRANSito, criada e representada pelo estudante de doutoramento Sandro Lucose (originalmente da Universidade Federal de Mato Grosso), cujo propósito declarado é ampliar as iniciativas relacionadas às discussões de Género no universo educacional.

Co-criada por Jerônimo Vieira, estudante de doutoramento da FBAUP, e com identidade visual a cargo de Dori Nigro, CORPO QUE TRANSito tem como objetivo, de acordo com a própria memória descritiva, “problematizar a existência do corpo transexual em seu estado híbrido e performativo na cena contemporânea”.

O estudante de doutoramento da Universidade Federal de Mato Grosso realizou um período de mobilidade internacional na U.Porto, ao abrigo do projeto EBW+.

A performance é, assim, o resultado do trabalho de pesquisa de “dois artistas-investigadores de doutoramento em Estudos de Cultura Contemporânea (UFMT, Brasil) e Educação Artística (FBAUP, Portugal) e em que, um é encenador / educador / investigador e o outro performer / educador / investigador, ambos com a intenção de propor a abordagem sobre o tema em contextos formais e não formais de ensino”.

A investigação levada a cabo por ambos “apontou que as artes performativas e contemporâneas podem ser importantes instrumentos de abordagem e reflexão sobre as questões de identidade e género e um importante contributo para a construção de uma sociedade mais inclusiva e diversa”, sendo a performance que agora será apresentada no Auditório da FBAUP a exemplificação deste conceito.

Recorde-se que o projeto Euro-Brazilian Windows +, financiado pela Comissão Europeia, através do Programa Erasmus Mundus, é composto por 20 instituições de ensino superior brasileiras e europeias, coordenadas pela Universidade do Porto.

Tendo por objetivo fomentar a cooperação entre as universidades brasileiras e europeias, contribuindo assim para a promoção do desenvolvimento socioeconómico do Brasil, o projeto prevê 151 mobilidades do Brasil para a União Europeia. Com estas bolsas, estudantes, investigadores e docentes podem realizar um período de estudos, pesquisa ou trabalho, respetivamente, numa das 10 instituições europeias que fazem parte deste consórcio de universidades.