Conselho Geral da U.Porto já se encontra completo

Cerimónia de Doutoramento Honoris Causa de Artur Santos Silva.<br /> Porto, Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto.<br /> 30 de Novembro de 2010.

Artur Santos Silva, Doutor Honoris Causa pela Universidade do Porto, é um dos seis novos membros cooptados do Conselho Geral da U.Porto.

Já estão escolhidos os novos membros cooptados do Conselho Geral da Universidade do Porto. Artur Santos Silva, Francisca Carneiro Fernandes, José António Sousa Lameira, Maria Geraldes, Pedro Silva Dias e Sérgio Guedes Silva são as seis personalidades externas à Universidade cooptadas para fazer parte deste órgão de governo da U.Porto.

Depois das eleições de 1 de junho último terem determinado os 12 representantes dos docentes e investigadores e o representante do pessoal não docente no Conselho Geral, coube a estes conselheiros e aos quatro representantes dos estudantes eleitos em abril de 2016 escolher as seis personalidades cooptadas que completam a composição do Conselho Geral da Universidade do Porto.

Os novos membros tomarão posse no dia 13 de outubro, na reunião do Conselho Geral onde será eleito o novo presidente do órgão, cujo nome sairá obrigatoriamente do grupo de seis personalidades agora cooptadas.

Artur Santos Silva desenvolveu grande parte da sua carreira profissional como presidente da Comissão Executiva e do Conselho de Administração do BPI. Contudo, é a sua extensa atividade cívica e, particularmente, de apoio às artes e cultura, que Artur Santos Silva mais se destaca na sociedade portuguesa e que justificou a atribuição do título de Doutor Honoris Causa pela Universidade do Porto, por proposta da Faculdade de Belas Artes. Do longo currículo destaca-se ainda a presidência da Fundação Calouste Gulbenkian, da Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República ou da “Porto – Capital Europeia da Cultura 2001”.

Francisca Carneiro Fernandes é presidente do Conselho de Administração da Teatro Nacional São João, EPE, que tem a seu cargo a gestão do Teatro São João, Teatro Carlos Alberto e o Mosteiro de São Bento da Vitória. Jurista de formação, desenvolveu a sua carreira profissional como gestora cultural, sendo uma das fundadoras e atual presidente da PERFORMART – Associação para as Artes Performativas em Portugal, que pretende promover as múltiplas formas de manifestação cultural e artística no âmbito das artes performativas, quer a nível nacional quer a nível internacional.

José António de Sousa Lameira, licenciado em Direito, desenvolveu toda a sua carreira profissional como magistrado. Juiz Conselheiro desde 2017, exerceu as funções de Presidente do Tribunal da Relação do Porto de 2010 a 2015. Preside ao Conselho de Representantes da Faculdade de Direito da U.Porto desde 2014.

Maria Geraldes é atualmente membro do Órgão de Acompanhamento das Dinâmicas Regionais do Norte da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte(CCDR-N), depois de, até janeiro de 2017, ter liderado o Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial Galiza-Norte, fazendo a ligação da CCDRN e a Comissão Europeia em assuntos respeitantes à região do Noroeste Peninsular. Anteriormente, exerceu as funções de Presidente da Comissão Executiva do Instituto Português da Juventude (2004-2007) e de Diretora Geral da Fundação da Juventude (1991-2004).

Pedro Silva Dias é Presidente do Conselho Diretivo da Agência para a Modernização Administrativa desde abril de 2015. O seu percurso profissional foi desenvolvido em cargos de gestão e liderança nos setores da Saúde e da Banca até 2014, ano em que assumiu a gestão do programa governamental Aproximar, responsável pelo desenvolvimento e implementação da nova estratégia de serviços públicos, imediatamente antes de ser nomeado para a presidência da Agência para a Modernização Administrativa.

Sérgio Guedes Silva é licenciado em Engenharia Mecânica pela FEUP, mas foi na área do voluntariado e apoio social que se notabilizou. Consultor das Nações Unidas no World Food Programme (WFP), foi fundador e ainda hoje presidente da G.A.S. Porto – Grupo de Ação Social do Porto, uma das mais bem-sucedidas estruturas de voluntariado estudantil nascidas no seio da Universidade do Porto.

Recorde-se que o Conselho Geral é um dos principais órgãos de governo da Universidade, tendo entre as suas competências a eleição do Reitor e, sob proposta deste, aprovar as linhas gerais de orientação da instituição no plano científico, pedagógico, financeiro e patrimonial.

Na Universidade do Porto, o Conselho Geral é constituído por 23 membros assim distribuídos: 12 representantes dos docentes e investigadores, quatro representantes dos estudantes e um representante dos não docentes e não investigadores, aos quais se juntam as seis personalidades externas cooptadas pelos membros eleitos.