Conferência Marques da Silva 2018 debate arquitetura “sem redoma de vidro”

Professor da FAUP desde 2005, Nuno Valentim foi o arquiteto responsável pelos projetos de reabilitação do Jardim Botânico do Porto e do Mercado do Bolhão. (Foto: DR)

O arquiteto e professor da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP), Nuno Valentim, é o orador convidado da 12.ª edição das Conferências Marques da Silva, este ano dedicada ao tema “Arquitetura e Património: sem redoma de vidro”. A sessão, organizada pela Fundação Instituto Arquitecto José Marques da Silva (FIMS), com o apoio da FAUP, realiza-se no próximo dia 25 de outubro, às 18h30, no Auditório Fernando Távora da FAUP.

“Qual o contributo da arquitetura para o património?” É essa a questão a que Nuno Valentim será desafiado a responder numa altura em que “vivemos um momento singular para a intervenção no Património Arquitetónico – que decorre do (inesperado?) crescimento de obra no edificado existente, após alguns anos de deserto, de esforços isolados e mesmo de desatenção a este desafio”. As “Conferências Marques da Silva 2018” serão assim “uma oportunidade para, através das nossas práticas (de projeto, de investigação, de colaboração…), documentar as frentes de trabalho, a reflexão e o combate que as intervenções no Património das cidades exigem”, projeta o arquiteto portuense.

Licenciado em Arquitetura pela FAUP (1995), Mestre em Reabilitação do Património Edificado pela Faculdade de Engenharia da U.Porto (2007) e Doutor em Arquitectura pela FAUP ( 2016), com a tese “Projecto, Património Arquitectónico e Regulamentação Contemporânea – Sobre práticas de reabilitação no património corrente”, Nuno Valentim (1971) é docente, desde 2005, no Mestrado Integrado em Arquitetura da FAUP. Desde 2017,  está também ligado ao CEAPA – Curso de Estudos Avançados em Património Arquitectónico, juntamente com Francisco Barata Fernandes, professor catedrático da FAUP falecido no passado mês de Agosto. A Conferência Marques da Silva 2018 servirá, também por isso, para prestar “homenagem ao antigo investigador, professor e diretor da FAUP, autor de importantes contributos para a compreensão da forma urbana portuense”, explica a organização.

Em paralelo com a docência na FAUP, Nuno Valentim exerce atividade profissional independente desde 1994. Entre as suas obras mais emblemáticas inclui-se o projeto de reabilitação do Jardim Botânico do Porto (incluindo Casa Andresen/Galeria da Biodiversidade, Casa Salabert e E-learning café), pelo qual foi nomeado para o prestigiado Prémio Mies Van Der Rohe – Prémio Europeu de Arquitetura Contemporânea 2018.

Foi ainda responsável pelo projeto de reabilitação do Mercado do Bolhão, pelo projeto de recuperação do edifício projetado por Marques da Silva para a rua Alexandre Braga, desenvolvido para a FIMS (vencedor do Prémio João Almada 2014 ); e  pela obra de reabilitação dos “Albergues Noturnos do Porto” (em coautoria com Frederico Eça e Margarida Carvalho), distinguida, em 2017, com o Prémio IHRU/Nuno Teotónio Pereira e o Prémio Nacional de Reabilitação Urbana.

Com entrada livre, a Conferência Marques da Silva 2018 faz parte do programa da ARQOUT 2018, uma iniciativa  promovida pela Secção Regional do Norte da Ordem dos Arquitectos (OASRN) e integrada nas comemorações do Dia Mundial da Arquitectura, assinalado no passado 1 de outubro.