CMAS revela “O mundo naquele Verão” de Mário Venda Nova

Inaugura esta sexta-feira, dia 16 de maio, pelas 18h30, na Casa-Museu Abel Salazar (CMAS), a exposição O mundo naquele Verão, de Mário Venda Nova.

Esta exposição de fotografia reflete sobre “a memória que está impregnada de forma latente na construção do eu, uma forma de relato difuso da passagem do tempo, que é ao mesmo tempo um testemunho fiel e uma construção inconsciente. O que recordamos é a verdade ou será uma verdade ficcionada?…”, perspetiva a organização.

O mundo naquele verão é assim uma tentativa de dar resposta a essas questões, sobre as relações familiares e a memória fotográfica, e serve ao mesmo tempo como construção de uma memória ilusória de verão.

Esta é a quarta de oito exposições programadas para 2014 na CMAS que se inserem no José Rosinhas Art Gallery Wall, um projeto galerístico e artístico de ocupação de uma parede de um espaço público ou privado, onde os artistas são convidados a expor a sua obra, o seu trabalho de pesquisa e o seu pensamento crítico sobre as problemáticas contemporâneas culturais e/ou artísticas.

A exposição O mundo naquele Verão estará patente até dia 28 de junho e a entrada é livre.

Sobre o artista

Natural do Porto e membro fundador do Colectivo Phos (2011), Mário Venda Nova fotografa desde 1991 – com um intervalo entre 1994 e 2000 quando se dedicou às artes plásticas – sempre na procura do inconformismo. Escreveu vários artigos sobre fotografia e foi comissário/curador numa galeria no Porto de 2009 a 2012. Trabalha em qualquer suporte e, apesar da sua mestria na impressão digital, admira e usa os suportes low-fi como a Polaroid, Lomo, Pinhole e outros. É colecionador de monografias, fotografia vintage (período 1900-1950) e contemporânea.