CINTESIS integra projeto no valor de 2,6 milhões de euros

Investigadores do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, unidade de I&D da Universidade do Porto, estão a desenvolver uma solução integral de estudo e intervenção na insuficiência cardíaca, no âmbito do projeto Deus ex Machina (DeM) –  Humans and Technology Simbiosis for Societal Efficiency Gains.

O DeM, no qual o CINTESIS é parceiro, é cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) através do NORTE 2020 em cerca de dois milhões e seiscentos mil euros e tem como objetivo aumentar o “empowerment” dos doentes, reduzir os internamentos, diminuir os custos e promover ganhos em saúde pública através dos meios digitais.

Esta linha de investigação, integrada no “Companion Competence Center”, está a ser desenvolvida por uma equipa multidisciplinar que engloba investigadores do CINTESIS de áreas tão distintas como a Cardiologia, a Psiquiatria e a Nutrição, sob coordenação de Silva Cardoso, médico cardiologista e investigador desta Unidade de I&D.

O projeto integra várias fases, que passam pela caracterização de doentes com insuficiência cardíaca em várias vertentes, como a nutrição e a saúde mental, e pelo desenvolvimento de uma aplicação para smartphone dirigida a pessoas com insuficiência cardíaca, tornando possível a telemonitorização não invasiva e continuada da doença à distância.

A nova aplicação será uma extensão da app SmartBEAT, desenvolvida pela Fraunhofer AICOS, e permitirá, por exemplo, monitorizar os sintomas e os sinais de alerta (como a pulsação e o ritmo cardíaco), promover a adesão à terapêutica e o cumprimento das orientações médicas, incentivar e acompanhar alterações nos estilos de vida, nomeadamente na alimentação.

Os dados serão registados e enviados para um profissional de saúde, que poderá ajudar o doente em caso de alerta, evitando hospitalizações e complicações graves decorrentes da doença.

Além do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, o projeto DeM, coordenado pela Fraunhofer AICOS, tem como parceiros o CPUP – Centro de Psicologia da Universidade do Porto, o CIDESD – Centro de Investigação em Desporto, Saúde e Desenvolvimento Humano, o CITAB – Centro Investigação e de Tecnologias Agroambientais e Biológicas, o CCG – Centro de Computação Gráfica, o 2C2T- Centro de Ciência e Tecnologia Têxtil e o Centro ALGORITMI.

A insuficiência cardíaca é uma doença crónica grave que afeta cerca de 400 mil pessoas em Portugal, constituindo a principal causa de internamento em doentes com mais de 65 anos de idade. É também uma importante causa de mortalidade, associando-se ao um risco de morte superior ao do cancro da mama ou da próstata.