CIIMAR volta ao Atlântico Norte para monitorizar baleias e golfinhos

Em 2016 decorrerá um campanha educacional, com enfoque nas comunidades do Porto e das ilhas da Madeira e Cabo Verde

Em 2016 decorrerá um campanha educacional com enfoque nas comunidades do Porto e das ilhas da Madeira e Cabo Verde

CETUS é o nome do projeto liderado pelo Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental da Universidade do Porto (CIIMAR), em colaboração com o CIMA Research Foundation (Itália) e com o Oceanlab da Universidade de Aberdeen (Escócia), que visa a monitorização de cetáceos na região da Macaronésia, através do registo de ocorrências de baleias e golfinhos, com o objetivo de determinar a sua distribuição e abundância nesta vasta área do oceano Atlântico.

Em pleno funcionamento desde 2012, o projeto resulta de uma parceria entre o CIIMAR e a empresa Transinsular (Grupo ETE), através da qual os seus navios de carga funcionam como plataformas de observação nas rotas entre Portugal Continental e as ilhas da Madeira, Açores e as Canárias e Cabo Verde.

O período de amostragem de 2016 iniciou-se em junho com a colaboração, pela primeira vez, do grupo de investigação do Observatório Oceânico da Madeira / CIIMAR-Madeira, incluindo assim duas novas rotas desde a Madeira a Porto Santo e às Ilhas Selvagens. Esta colaboração permitirá aumentar a coleta de dados na área da Madeira e ilhas adjacentes, para além dos já recolhidos nas regiões de alto-mar com as rotas dos navios cargueiro.

Em 2016 será dinamizada uma campanha educacional através de um programa itinerante, com enfoque nas comunidades do Porto e das ilhas da Madeira e Cabo Verde. As atividades serão centradas na conservação dos cetáceos mas também nos efeitos da poluição marinha e na suscetibilidade dos ecossistemas oceânicos, de forma a consciencializar os grupos mais jovens para a conservação dos oceanos.

O projeto terá ainda uma participação no programa da Universidade Itinerante do Mar, que resultará na formação de monitorização de cetáceos e contribuirá também para o aumento da coleta de dados durante a rota percorrida pelo navio Creoula, desde o Norte de Espanha até Lisboa.

No âmbito do CETUS já foram navegadas cerca de 140.000 milhas náuticas, das quais quase 40.000 amostradas e identificadas 26 espécies totalizando 1.343 avistamentos. Estes dados já contribuíram para um programa de doutoramento, 4 teses de mestrado e 3 dissertações de licenciatura.