CIIMAR vai ao mar procurar soluções para aplicações biotecnológicas

O oceano é uma fonte de substâncias que podem vir a ser aplicadas à medicina, ecologia, indústria, entre outros setores.

Descobrir substâncias naturais de origem marinha com potencial ecológico e farmacológico é o objetivo do projeto MARBIOTECH, uma iniciativa do Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental da Universidade do Porto (CIIMAR) que juntará, até junho de 2015, uma equipa multidisciplinar de 30 doutorados.

Enquadrado no Programa Integrado de IC&DT MARVALOR – Building research and innovation capacity for improved management and valorization of marine resources e suportado pelo Programa Operacional Regional do Norte (ON.2) e pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, este projeto visa descobrir e disponibilizar substâncias de origem marinha com várias aplicações biotecnológicas. Entre elas destacam-se especialmente metabolitos secundários de fungos e cianobactérias marinhas, de vida livre ou associados a esponjas e outros invertebrados marinhos.

Ao longo dos próximos dois anos, os biólogos moleculares e geneticistas da U.Porto vão utilizar ferramentas moleculares para a identificação das espécies produtoras de novos lantipeptideos ou cianobactinas, substâncias com conhecidas propriedades anticancerígenas.

Já os biólogos, ecotoxicólogos, farmacêuticos e microbiólogos, entre outros, procurarão por sua vez desvendar a produção de compostos bioativos passíveis de ser usados como substâncias alelopáticas (por exemplo, substâncias que possam controlar o crescimento de organismos causadores das marés vermelhas); como agentes anti-incrustantes (para serem usadas em tintas e vernizes para pintar cascos de navios ou outras estruturas marítimas), e ainda como agentes antimicrobianos (em especial face a bactérias multirresistentes), citotóxicos e anticancerígenos.

Uma equipa de químicos e bioquímicos tratará  ainda de elucidar a estrutura destes compostos bem como a sua eventual síntese.

Esta é uma linha de investigação que pretende tornar o CIIMAR num centro de investigação altamente competitivo a nível internacional na área da biotecnologia azul, fazendo o ciclo completo desde o organismo produtor à elucidação química da substância alvo e à caracterização dos seus efeitos e potenciais utilizações.