CIIMAR e INESC TEC recebem prémios “O Melhor do Portugal Tecnológico”

Catarina Magalhães e Alfredo Martins representaram o CIIMAR e INESC TEC, respetivamente, na entrega da menção honrosa na categoria Sustentabilidade, ao projeto MarinEye.

Os projetos MarinEye e VR2Market e foram distinguidos com duas menções honrosas nas categorias Sustentabilidade e Inovação, respetivamente, do prémio “O Melhor do Portugal Tecnológico”, atribuído pela revista Exame Informática.

O MarinEye é liderado pelo CIIMAR e tem colaboração INESC TEC. Trata-se de um sistema autónomo multitrófico que vai monitorizar de forma integrada os oceanos, permitindo assim uma gestão mais sustentável dos recursos marinhos e uma redução dos impactos de riscos ambientais.

Segundo a equipa editorial da Exame Informática, neste trabalho foi “premiada a capacidade de engenho dos investigadores que conseguiram desenvolver um equipamento que consegue executar funções complexas e tem um custo de fabrico mais competitivo. Além disso, dá um contributo significativo à sua finalidade, a da investigação científica.”

Para a investigadora do CIIMAR, Catarina Magalhães, esta distinção significa “o reconhecimento de um trabalho que se revelará essencial para o conhecimento da complexidade dos ecossistemas marinhos e a salvaguarda da biodiversidade”. O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) e Centro de Ciências do Mar e do Ambiente – Politécnico de Leiria (MARE – IP Leiria) completam a lista de parceiros.

Joana Paiva e Duarte Dias representaram a equipa do projeto VR2Market, recebendo a menção honrosa na categoria Inovação.

Quanto ao VR2Market, trata-se de um projeto onde foram desenvolvidos um conjunto de sensores vestíveis que monitorizam os sinais vitais e o posicionamento no terreno de profissionais de primeira resposta, tais como paramédicos ou bombeiros. O objetivo “é obter índices de fadiga, exposição a calor e níveis de stress, exposição a gases nocivos, etc., que possam ser utilizados para a proteção destes profissionais e para uma melhor gestão das equipas no terreno, em situações de catástrofes naturais, por exemplo”, explica o investigador do INESC TEC e professor da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), João Paulo Cunha.

O projeto liderado pelo INESC TEC, e desenvolvido no âmbito do Programa CMU Portugal, em conjunto com a Universidade de Carnegie Mellon (CMU), IEETA/Universidade de Aveiro, Instituto de Telecomunicações-Polo do Porto e Biodevices S. A, destacou-se “pela forma como os investigadores foram capazes de utilizar tecnologias da Internet das Coisas num contexto muito importante junto de profissionais que têm grandes momentos de stress. A recolha de dados e a sua transformação em informação em tempo real, tem grande aplicabilidade no quotidiano o que deixa antever um modelo de negócio sustentável”, de acordo com a nomeação do prémio.

Os galardões foram entregues esta terça-feira, dia 26 de junho, numa cerimónia em Lisboa. Há mais de uma década que a Exame Informática atribui estes prémios, compostos por nove categorias: Marca Nacional, Marca Internacional, Produto do ano, Fabricante de computadores, Sustentabilidade/Responsabilidade Social, Software, Internet e Inovação e “Personalidade”, esta última decidida por um júri convidado e presidido pelo professor José Tribolet, presidente do INESC.

A Exame Informática é a mais antiga e a mais lida marca de conteúdos de tecnologia nos media portugueses. Hoje, além da publicação em papel, a Exame Informática está presente nas mais diversas plataformas, incluindo na televisão, onde mantém há sete anos um programa no qual dá a conhecer o que de melhor se faz na tecnologia em Portugal e no mundo.