Cientistas da U.Porto descobrem substâncias anticancerígenas

Foram analisadas diferentes  estirpes de cianobactérias marinhas isoladas em Portugal.

Investigadores analisaram diferentes estirpes de cianobactérias marinhas isoladas em Portugal.

Ao longo dos últimos dois anos, 30 investigadores ligados ao Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental da Universidade do Porto (CIIMAR) recorreram a ferramentas moleculares para tentar identificar espécies produtoras de novas substâncias bioativas. Desse trabalho, consumado através do projeto MARBIOTECH – Rastreio de substâncias naturais de origem marinha com potencial ecológico e farmacológico, resultou a descoberta de novos compostos com propriedades anticancerígenas.

Composta por investigadores de diferentes áreas, desde biólogos moleculares a geneticistas, farmacêuticos, microbiólogos, químicos e bioquímicos, a equipa do CIIMAR conseguiu identificar e caracterizar uma série de novos compostos químicos produzidos por fungos, tal como o terpeno sartorypyrone C, o composto aromático similanpyrone C e o péptido similanamida, este último com atividade anticancerígena. Por outro lado, foi também descoberto um conjunto de glicolípidos raros obtidos a partir de cianobactérias recolhidas nas praias do Minho, igualmente com propriedades anticancerígenas.

Além disso, foram ainda obtidos extratos de cianobactérias com forte atividade anti-incrustantes, com potencial para serem usados em tintas e vernizes para pintar cascos de navios ou outras estruturas marítimas, evitando o estabelecimento de comunidades bioincrustantes (ex. mexilhões; lapas, entre outros).

Tendo por objetivo a valorização económica dos produtos do mar, o MARBIOTECH, suportado pelo Programa Operacional Regional do Norte (ON.2) e pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, procurou assim descobrir e disponibilizar substâncias de origem marinha com várias aplicações biotecnológicas, especialmente os metabolitos secundários de fungos e cianobactérias de origem marinha.

É o resultados deste trabalho que vai ser revelado ao público durante o Blue Business Forum, que decorre de 4 a 6 de junho na Fil, em Lisboa. Numa visita ao stand informativo do CIIMAR será ainda possível conhecer o “Biotech Pipeline“, uma estrutura em acrílico que ilustra o caminho desenvolvido pelos investigadores desde a colheita de um organismo marinho até à obtenção de um composto bioativo; o “IMTA“, um sistema representativo da Aquacultura Multi-Trófica Integrada e que visa aumentar a produção aquícola animal de uma forma sustentável; e a “Câmara Hiperbárica” que permite recriar ambientes aquáticos com pressões/profundidades muito elevadas, permitindo diversas aplicações ao nível da investigação e no desenvolvimento de equipamentos de cariz tecnológico.