CIIMAR alerta para a captura excessiva de ouriços-do-mar

O Paracentrotus lividus está presente nas praias do Norte de Portugal. Fotografia: Rula Domínguez

Num trabalho recentemente publicado na revista “Fisheries Research”, uma equipa de investigadores do Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental da Universidade do Porto (CIIMAR)) verificou uma redução significativa da população de ouriços-do-mar nas praias do Norte de Portugal.

Através de uma análise comparativa dos padrões de abundância e distribuição do ouriço-do-mar roxo Paracentrotus lividus presente em varias praias inexploradas do Norte de Portugal e em praias sujeitas à colheita comercial, os investigadores do CIIMAR, Iacopo Bertocci e Rula Domínguez, verificaram nestas últimas uma redução significativa na densidade total e abundância de indivíduos com um tamanho comercialmente valioso, quando comparado com as praias inexploradas.

As amostras foram recolhidas pelos investigadores entre fevereiro de 2012 e março 2013 ao longo de 65 km da costa portuguesa, tendo-se verificado que a colheita comercial excessiva desta espécie tem um impacto real negativo sobre as populações estudadas de P. lividus. O estudo demonstra assim ser necessário uma gestão mais eficaz da apanha do ouriço-do-mar e a adoção de medidas de proteção das populações desta espécie.

As gónadas do ouriço-do-mar são um alimento de elevado valor comercial  e extremamente apreciado em países como a França, Espanha ou o Japão. A sua apanha ocorre essencialmente entre o final outono até à primavera, altura em que as gónadas atingem o tamanho e textura desejados.

O estudo “Multiple effects of harvesting on populations of the purple sea urchin paracentrotus lividus in north Portugal” foi apoiado pela Polis Litoral Norte SA, através do projeto “Estudo de Caracterização da Atividade Pesqueira Costeira e dos seus impactos nos Recursos e nas comunidades Marinhas do Litoral Norte” e pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) e pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT).