Cientistas treinam nova geração de especialistas nas fronteiras da nanotecnologia

Nanotecnologia permite a criação de sensores mais robustos e versáteis que apoiam avanços em várias áreas de investigação

Nanotecnologia permite a criação de sensores mais robustos e versáteis que apoiam avanços em várias áreas de investigação.

São 75 cientistas nacionais e internacionais e vão encontrar-se de 22 a 29 de julho, na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP), para explorar o tema da nanotecnologia e o impacto que esta área de investigação tem no campo dos sensores óticos e na sociedade, no âmbito da ASCOS (Advanced Study Course on Optical Chemical Sensores).

A ASCOS é uma summer school de renome internacional na área dos sensores óticos, realiza-se desde 1999 na Europa e tem como objetivo reunir os mais conceituados cientistas desta área. Portugal acolhe pela primeira vez a iniciativa, numa organização do INESC TEC.

A escola oferece um ambiente único onde especialistas de todo o mundo convivem com os estudantes num ambiente informal debatendo problemas científicos focados em aplicações reais. O objetivo do convívio de investigadores de diferentes gerações e de diferentes áreas do conhecimento é o de treinar novas gerações de cientistas capazes de trabalhar na interface de diferentes disciplinas como a física, a química e a biologia.

“A área da nanotecnologia aplicada aos sensores pode ter um impacto muito grande na sociedade. Por exemplo, os sensores químicos intracelulares são fundamentais para o conhecimento dos processos bioquímicos da vida e de várias doenças como o cancro. Mas os desafios da nanotecnologia são ainda muitos, daí a necessidade deste debate contínuo da comunidade científica. Muitos materiais estão ainda numa fase exploratória, pelo que ainda permanecem algumas questões quanto à estabilidade e reprodutibilidade das suas propriedades e sua interação com os ecossistemas”, explica Pedro Jorge, investigador do INESC TEC e responsável pela organização da ASCOS em Portugal.

Os 56 participantes da summer school são provenientes de 20 nacionalidades diferentes, Portugal, Áustria, Alemanha, Espanha, Rússia, China, Brasil, República Checa, Finlândia, Hungria, Itália, Irlanda, Polónia, Singapura, Eslovénia, México, Colômbia,

Por sua vez, dos 19 tutores convidados quatro são portugueses, Paulo Freitas do INL – Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia em Braga, Paulo Marques da FCUP, José António Salcedo da Multiwave Photonics no Porto e Pedro Jorge do INESC TEC. Os restantes são provenientes dos EUA, Alemanha, Itália, Espanha, Áustria, Hungria, Eslovénia, Irlanda e República Checa.

A receção aos cientistas será feita no dia 23 de julho, pelas 09h00, no Departamento de Ciências de Computadores da FCUP, e a cerimónia final vai decorrer a dia 29 de julho, pelas 14h00, com a entrega de prémios aos melhores trabalhos dos estudantes. O programa da ASCOS é composto por sessões de formação teóricas e desafios práticos colocados aos estudantes, sendo que na segunda-feira, dia 27 de julho, os investigadores vão ser recebidos no INL – Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia, o único instituto internacional no mundo dedicado à nanotecnologia, situado em Braga, para sessões especiais dedicadas à Nanotecnologia, visita aos laboratórios e interação com os cientistas que lá trabalham.

A ASCOS 2015 Porto, organizada pelo INESC TEC, conta ainda com o apoio da Universidade do Porto, FCUP, SPOF (Sociedade Portuguesa de Ótica e Fotónica), INL, SOGRAPE, HBM FiberSensing, CleaningSynergy, Ghibli Portugal e Primavera Software.

Mais informações sobre a ASCOS estão disponíveis em: http://ascos.org/.