CIBIO-InBIO aplica tecnologia de ponta ao estudo da natureza

Equipamento promete facilitar o estudo de muitas espécies de aves, especialmente aquelas que são mais difíceis de recapturar. (Foto: Pedro Rodrigues/CIBIO-InBIO)

Uma equipa de investigação internacional, da qual fazem parte cientistas do Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos (CIBIO-InBIO) da Universidade do Porto, acaba de apresentar uma solução inovadora de equipamento ultraleve e com maior autonomia para a monitorização eficaz da natureza e da vida selvagem.

Na solução desenvolvida no âmbito do projeto Movetech Telemetry, a informação é transmitida através da rede de telemóvel a partir da tecnologia GPS e outros sensores existentes no equipamento temporariamente instalado no animal , deixando de ser necessária a recaptura do mesmo para a recolha de dados. A dimensão do aparelho permite, deste modo, a visualização e estudo de muitas espécies de aves, especialmente aquelas que são mais difíceis de recapturar.

Para João Paulo Silva, investigador do CIBIO-InBIO e do Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (cE3C) e coordenador da componente científica e de desenvolvimento de software do Movetech Telemetry, “os dispositivos podem monitorizar animais com dimensões reduzidas – do tamanho de uma gaivota, com cerca de 600g – transmitindo informação precisa, não só da sua localização, mas também da aceleração do equipamento em diferentes orientações. Por exemplo, podemos até saber quando e onde é que o animal se está a alimentar!”

Ainda segundo o investigador, a nova solução permite “ter acesso privilegiado à informação até 12 meses (o tempo de vida do aparelho), com uma análise, quase em simultâneo, dos dados que são recebidos automaticamente”, realça João Paulo Silva.

Para além do CIBIO-InBIO, o Movetech Telemetry conta ainda com a participação da Universidade de East Anglia (UEA), da British Trust for Ornithology (BTO), do cE3C e da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (Ciências ULisboa).