Centenário de Vergílio Ferreira celebrado na U.Porto

Vergílio FerreiraO sofá onde escrevia está lá, bem como o candeeiro, a manta das pernas e a prancha de madeira de apoiar as folhas que deram vida a obras como Aparição ou Manhã Submersa. De 6 a 20 de maio, estes são apenas alguns dos tesouros por descobrir em “Vergílio Ferreira: Os Caminhos da Escrita ou o Fascínio da Arte”, uma exposição organizada pela Câmara Municipal de Gouveia e pelo Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa (ILCML) da Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP), que chega ao Edifício da Reitoria da U.Porto no âmbito das comemorações do centenário de Vergílio Ferreira.

Arquitetada em seis núcleos temáticos, correspondentes a partes de um romance imaginário que se pretende dar a conhecer aos visitantes, a exposição inspira-se no tempo circular de alguns dos mais relevantes romances do autor. A contextualizá-los estarão imagens, objetos e documentos particulares de Vergílio Ferreira, reunidos por Jorge Costa Lopes, investigador da obra do escritor e vencedor do Prémio Vergílio Ferreira 2013, com a colaboração de Filomena Rodrigues, sobrinha de Virgílio Ferreira.

“Vergílio Ferreira: Os Caminhos da Escrita ou o Fascínio da Arte” vai ser inaugurada oficiaamente no dia 6 de maio, pelas 18h30. A exposição estará aberta ao público de 9 a 20 de maio e poderá ser visitada de segunda a sexta-feira, das 10h00 às 18h00. No dia 14 de maio, sábado, a exposição abrirá excecionalmente entre as 15h00 e as 18h00, havendo ainda espaço para uma visita guiada pelo comissário científico da exposição, José Costa Lopes.

A entrada é livre