Cancro da mama: Investigação da U.Porto reconhecida

Trabalho dos investigadores procura replicar no ser humano os conhecimentos obtidos através dos animais de companhia.

O Grupo de Investigação em Patologia da Mama do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS) e do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular (IPATIMUP) da Universidade do Porto foi recentemente homenageado pela Sociedade Portuguesa de Senologia, pelo trabalho de investigação desenvolvido na área da patologia comparada, usando o modelo do cancro da mama da cadela.

Centrado no estudo do cancro nos animais de companhia, o trabalho desta equipa de investigação da U.Porto tem-se focado desde há vários anos, no desenvolvimento de modelos experimentais que procuram emular o processo fisiopatológico do cancro da mama na mulher. Através desta abordagem, expressa em nove projetos nacionais e internacionais dos quais resultaram seis teses de doutoramento e mais de 50 artigos científicos, os cientistas têm conseguido compreender muitos dos aspetos moleculares do cancro da mama de ambas as espécies, conhecimento esse que está publicado nas mais prestigiadas publicações científicas nacionais e internacionais.

Os investigadores da U.Porto procuram também fazer face ao forte aumento que o cancro da mama da cadela conheceu nos últimos anos. Este fenómeno exige um diagnóstico rápido e um tratamento eficaz, a fim de estabelecer uma melhor taxa de sobrevivência associada ao bem-estar destes animais.

O grupo é liderado por Fátima Gärtner, professora catedrática do ICBAS e investigadora Sénior do IPATIMUP com 20 anos de experiência no estudo do cancro da mama da cadela e gata. Para o sucesso da equipa, que integra também veterinários, biólogos e bioquímicos, concorre ainda a permanente colaboração com instituições estrangeiras e nacionais, nomeadamente a clínica Veterinária do ICBAS.

A homenagem da Sociedade Portuguesa de Senologia decorreu durante o Congresso Nacional de Senologia, realizado no passado mês de novembro, no Porto.