Camiões, próteses, compras e arquitetura brilham no Startup Pitch Day do UPTEC

Wetruck recebeu o prémio de "melhor pitch" do Startup Pitch Day

Perante uma plateia de mais de 200 pessoas, 20 novos projetos empresariais do Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto (UPTEC) apresentaram a sua ideia de negócio. De entre os projectos empresariais, o júri escolheu o melhor pitch, Wetruck, e atribuiu menções honrosas, FAHR 021.3, Xhockware e Adapttech.

O júri atribuiu o prémio de melhor pitch à Wetruck, projeto direcionado para empresas de transporte de mercadorias sob temperatura controlada com veículos pesados de carroçaria rígida. O projeto desenvolve soluções portáveis capazes de produzir, recuperar e armazenar energia elétrica nos veículos pesados.

A menção honrosa na área das indústrias criativas foi atribuída à FAHR 021.3, estúdio criativo que combina arte e arquitetura. Na vertente tecnológica, o júri elegeu a Xhockware, empresa que desenvolve e produz soluções inovadoras para o retalho. Na área da biotecnologia, a escolhida foi o Adapttech, projeto que desenvolve tecnologias de adaptação, com vista a melhorar a interação entre o amputado e a sua prótese.

O júri foi composto por Cristina Farinha, ADDICT; Heitor Alvelos, ID+ e FBAUP; Hélder Freitas, Bial; João Gunther Amaral, Sonae; João Mena de Matos, STI International; João Martins, Much Beta; Marcelino Pousa, Instituto de Telecomunicações; Mário Correia, Vodafone; Nuno Alves, Canal 180; Paulo Calçada, Eurocloud; Pedro Aguiar, Ah Business e Pedro Coelho, FEUP.

No Startup Pitch Day do UPTEC, foram apresentadas ao público várias ideias de negócio. A Diapotek atua na área dos serviços de gestão terapêutica e prestação de cuidados continuados. A 5sense desenvolve soluções inteligentes para aumentar a segurança e a comodidade do quotidiano do utilizador. Já a Zen Code Monkeys é uma produtora de jogos que pretende eliminar a divisória entre os jogadores casuais e veteranos. A Enjoy é um guia turístico completo que abrange todo o processo de viagem e a Beaunity uma plataforma de comércio eletrónico para a indústria da beleza.

A City Fashion Makers une a cultura, a criatividade e a moda para promover a cidade e a Lynx visa melhorar a autonomia e qualidade de vida das pessoas cegas e com visão reduzida. Por sua vez, a Lupa é uma marca de acessórios para casa, que junta criatividade, experiência e a mestria da manufactura nacional. Já a Expertus Cam Assays realiza ensaios in vivo no ovo de galinha que permitem conhecer os mecanismos de desenvolvimento do cancro.

A Sea of Systems desenvolve soluções para o apoio à aqui-cultura e a mediagaps é uma consultora tecnológica especializada na arquitetura, desenho e desenvolvimento de software para a indústria do broadcast. A Norte Magnético é especializada na optimização de investimentos imobiliários, no âmbito da reabilitação de edifícios. A Project Oceanus 3D recria a experiência de jogo de um casino real com a conveniência e interactividade de um mundo virtual e Taggeo é uma aplicação que pesquisa e agrega informação geolocalizada a partir de outras redes sociais.

David Pontes, jornalista da Lusa e keynote do evento, elucidou os projetos empresariais da importância de darem a conhecer ao mercado aquilo que fazem de novo, da necessidade de organizarem, planearem e apostarem (sem medos), assim como, da capacidade de se adaptarem durante o processo de criação e consolidação do negócio.  O momento de entrega dos prémios contou ainda com a presença do Vereador do Pelouro da Inovação e Ambiente, da Câmara Municipal do Porto, Filipe Araújo.

O processo de selecão de projetos para a terceira edição do Programa de Aceleração de Startups do UPTEC terminou no passado dia 25 de março.