Calçado que é uma segunda pele criado por startup do UPTEC

UPTEC_Iguaneye

O calçado é inspirado nos índios da Amazónia, que mergulhavam os pés na borracha para os proteger. (Foto:DR)

A Iguaneye é um novo conceito de calçado: uma dupla pele protetora que cobre todas as partes do pé, permitindo caminhar confortavelmente em qualquer lugar – como se andasse descalço. Nasceram pelas mãos de Olivier Taco, um designer francês, que encontrou em Portugal o local ideal para sediar a produção do calçado.

Licenciado pela Escola Nacional de Desenho(ENSCI/Les Ateliers), em França, Olivier inspirou-se nos índios da Amazónia, que mergulhavam os pés na borracha para os proteger. O negócio começou com a participação numa campanha de crowdfunding na Kickstarter, plataforma online para a obtenção de financiamento. Um mês após o início da angariação de fundos, a startup já tinha conseguido vender mais de 800 pares de calçado para todo o mundo.

O calçado e as palmilhas, disponíveis desde o número 34 ao 43, têm nove cores diferentes e podem ser conjugados de acordo com o gosto do comprador. Incubada no UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto, a startupvende para todo o mundo (Japão, Estados Unidos, Tailândia, Áustria, Noruega, na Polónia e República Checa) e já faturou mais de 320 mil euros.

A produção da Iguaneye está sediada em Portugal: as palmilhas são produzidas na Trofa e o calçado em Vila Nova de Gaia.  A palmilha é feita de cortiça (99%), látex natural (1%) e revestida a pele de couro. O couro é suave para a pele, e a cortiça atua como um material antibacteriano natural, que absorve o suor e evita os odores. Para facilitar a circulação de ar no calçado, por baixo da palmilha existem seis aberturas.

A Iguaneye frequentou a Escola de Startup do UPTEC e recebeu uma menção honrosa na categoria “Indústrias Criativas” no Pitch Day, evento de apresentação final dos projetos empresariais que realizaram o programa.