Business Ignition Programme premeia ideia para aquacultura sustentável

Rafaela Santos, Ana Sofia Lavrador e Fabio Rangel formam a equipa vencedora da 3a edição do BIP, a SNACK Probiotics. (Foto: DR)

“A nossa equipa de investigação conseguiu isolar diversas bactérias com potencial probiótico e comprovou que tinham capacidade para combater alguns dos mais importantes agentes patogénicos a afectar peixes de aquacultura”. É desta forma que Rafaela Santos, investigadora no Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental (CIIMAR) e na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP) resume o SNACK Probioticsprojeto vencedor da 3.ª edição do BIP (Business Ignition Programme).

A terceira edição do BIP decorreu entre fevereiro e abril, na Porto Business School. Foi durante este programa intensivo de 12 semanas que a equipa do CIIMAR conseguiu “desenvolver uma ideia de negócio sólida que irá permitir o licenciamento destas estirpes bacterianas e a sua comercialização e incorporação em rações, permitindo a melhoria da saúde dos peixes de aquacultura com base em práticas amigas do ambiente”, explica Rafaela Santos.

O segundo lugar do BIP 2018 foi entregue a outro projeto do CIIMAR que propõe soluções inovadoras na área dos testes genéticos, oferecendo produtos e serviços que permitem a identificação e certificação de produtos biológicos. Segundo Filipe Pereira, líder do projeto, “a empresa IDENTIFICA, criada no âmbito deste programa, tem um portfólio que inclui a identificação dos componentes de produtos alimentares (espécies, transgénicos, alergénios, etc.), deteção de agentes patogénico e espécies invasoras, análises forenses, caracterização de raças domésticas, entre outros”.

O investigador,  vencedor da bolsa MBA Magellan da Porto Business School, referiu ainda que “os serviços estão disponíveis ao público em geral, empresas e laboratórios, apresentando características únicas no mercado, nomeadamente na identificação de amostras degradadas e processadas”.

Durante a cerimónia de entrega dos prémios, que decorreu na Faculdade de Desporto da U.Porto (FADEUP), foram apresentadas 11 ideias de negócio que visam a comercialização de tecnologias desenvolvidas pelo mundo académico, que foram aperfeiçoadas neste programa de Ignição de Negócios até um modelo de negócio viável e competitivo. A seleção final das propostas vencedoras coube a um criterioso painel de júris constituído por André Rocha (Frulact), Cristina Fonseca (TalkDesk), Joana Alves dos Santos (Porto Business School), Jorge Machado (Clarke&Modet) e Marlos Silva (SONAE).

A equipa vencedora foi distinguida com um prémio monetário de 1.500 euros, ao abrigo do projeto NOE – Noroeste Empreendedor. No âmbito da parceria estabelecida entre a Universidade do Porto e o Santander Universidades, foram ainda oferecidas cinco bolsas para a European Innovation Academy, atribuídas às duas equipas melhor classificadas e a três membros sorteados da assistência, no valor aproximado de 8.500 euros.

Nesta cerimónia houve também lugar à apresentação da experiência de Johnny Cartucho (tigertime.io) na 1.ª edição de Cascais da European Innovation Academy e no desenvolvimento de uma app que permite barrar distrações nas redes sociais.

Sobre o BIP

O Business Ignition Programme é um projeto organizado pela U.Porto Inovação, CIIMAR e INESC TEC com o objetivo de dotar os participantes de competências relevantes para darem resposta a desafios e oportunidades de mercado. O BIP é financiado pelo Norte 2020, Portugal 2020 e União Europeia.

A terceira edição do BIP contou com a colaboração da SONAE como parceiro industrial através do apoio às ideias de negócio com aplicação no setor do retalho.