AuditMark é a melhor startup do ano em Portugal

Pedro Fortuna (à esq. na foto), antigo estudante da FEUP, é um dos fundadores da AuditMark. (Foto: AuditMark)

A AuditMark, uma empresa incubada no Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto (UPTEC), foi considerada a melhor startup portuguesa do ano. A distinção foi atribuída pela EuroCloud Portugal, que elegeu a jovem empresa do Porto pelo seu trabalho inovador na área da proteção de código de aplicações Web.

“A AuditMark foi selecionada por unanimidade pelo juri do EuroCloud Award como vencedora da melhor start-up nacional pela sua capacidade de impacto internacional, potencial de crescimento e inovação. Sendo de destacar a liderança do produto JScrambler, na área de segurança e de proteção de aplicações”, afirma Vasco Lagarto, Presidente da Comissão executiva do TICE.PT e um dos membros do júri dos Prémios Eurocloud Portugal 2013.

Incubada no UPTEC desde a sua génese, a AuditMark vê assim reconhecida a evolução do seu produto JScrambler. Este produto oferecido como serviço na Cloud, protege o código JavaScript de aplicações Web através da transformação do mesmo. “Geramos de forma automática código com funcionalidade equivalente mas completamente ilegível ao olho humano. Adicionalmente instalamos uma série de verificações que permitem proteger este código contra roubo e execução não-autorizada”, explica Pedro Fortuna, CTO e co-fundador da AuditMark e antigo estudante da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP).

O JScrambler é um serviço desenvolvido pela AuditMark que protege o código JavaScript de aplicações Web.

No mercado desde finais de 2010, o JScrambler, conta já com quase 10 mil utilizadores provenientes de mais de 100 países. Até ao momento, o produto protegeu mais de 120 milhões de linhas de código.

O JavaScript é uma tecnologia central às aplicações Web, que incluem aplicações não só para computadores pessoais, portáteis, smartphones e tablets mas também aplicações Web emergentes, a correr em automóveis ou até mesmo em eletrodomésticos. “Sem proteção, o código destas aplicações estará sujeito a perigos que podem por em causa a privacidade e até a segurança das pessoas”, diz Pedro Fortuna, CTO da AuditMark.

“O reconhecimento de empresas como a AuditMark motiva-nos imenso. Estas startups são uma peça fundamental para o sucesso do UPTEC e potenciam o desenvolvimento económico e social da região e do país”, salienta Clara Gonçalves, diretora executiva do Parque.

Com esta importante distinção nacional, a AuditMark garante também a possibilidade de vencer o Prémio Europeu de Cloud Computing, que será anunciado em outubro, no Luxemburgo.