“Animais de Museu” regressam à U.Porto pela mão de artistas e escritores

Mais de vinte textos e trinta desenhos materializam e perpetuam em livro o "património do imaginário" deixado pela exposição.

Na próxima sexta-feira, dia 14 de fevereiro, às 18h30, o átrio do edifício da Reitoria da Universidade do Porto vai receber um evento invulgar. Tendo como inspiração a “Invasão da Casa Andresen – Animais de Museu”, vão ser ali expostos de forma original os desenhos integrados no catálogo da exposição que esteve patente até novembro passado, na Casa Andresen (Jardim Botânico do Porto).

Afonso Cruz, Mariana a Miserável, Cristina Valadas, Pedro Sarapicos, Fátima Afonso foram alguns dos artistas/ilustradores convidados. Mas não só. Reunindo mais de 30 desenhos, o catálogo explora também formas de escrever o imaginário através de mais de 20 textos assinados por várias figuras da escrita e da música.

E qual foi o desafio aceite por nomes como Filipa Leal, Inês Fonseca Santos, Carlos Tê, Jorge Marmelo, Pedro Eiras e Rui Reininho, entre tantos outros? O de imaginarem uma Invasão. Como? Sabiam que mais de cem animais, vindos dos cinco continentes, tinham invadido a Casa Andresen. Vinham reclamar o lugar de sonho literário que Sophia de Mello Breyner Andresen eternizou no conto Saga, onde descreve o “enorme átrio para o qual davam todas as salas e no qual, como dizia Hans, se poderia armar o esqueleto da baleia que há anos repousava, empacotado em numerosos volumes, nas caves da Faculdade de Ciências” da U.Porto.

O lançamento/apresentação do catálogo da “Invasão da Casa Andresen – Animais de Museu” é aberto ao público. A entrada é livre.

Sobre a exposição

Foi a 18 de maio de 2013 que mais de 120 animais, entre tigres, leões, cabras, zebras, um rinoceronte, uma girafa, uma pantera ou um bufalo vindos de todos os continentes, invadiram a Casa Andresen. Desde então, milhares de visitantes aventuraram-se por uma exposição que revelou as técnicas de taxidermia mais modernas, por trás de impressionantes cenas de animais em equilíbrios impossíveis, recriadas pelo escultor espanhol Antonio Pérez.

Espaço de inspiração para Sophia de Mello Breyner e Ruben A, a Casa Andresen já acolheu várias exposições e irá agora entrar numa nova fase de vida. Será neste “lugar de sonho literário” que ficará instalada a futura Galeria da Biodiversidade da U.Porto.