Alumnus da FEUP cria “colete à prova de bala” para passwords digitais

O protótipo funcional já está do lado do fabricante com tudo pronto para produzir (foto: D.R.)

João Paredes é antigo estudante da Faculdade de Engenaharia da Universidade do Porto (FEUP) e é também o líder do projeto Pitbull Wallet: um verdadeiro “cão de guarda” das passwords e dinheiro digital. E como funciona o processo? Basicamente, impedindo qualquer tipo de ligação remota ao cartão.

A Pitbull Wallet, tal como indicia o nome, serve essencialmente para proteger a propriedade online do utilizador. A carteira, que é na verdade um cartão, permite guardar as palavras-passe de serviços online, guardar endereços de utilizadores de moedas digitais como se de uma lista de contactos se tratasse e ainda guardar carteiras das mais variadas criptomoedas: Bitcoin, Litecoin, Dogecoin e muitas outras.

No decurso de experiências sobre criptomoeda aliada ao facto das pessoas perderem frequentemente as passwords das diferentes contas online motivou  o projeto. Sendo o papel um suporte facilmente destrutível e os computadores instrumentos de fácil roubo de passwords, surgiu o conceito com base nos cartões de crédito com PIN temporário.

E como funciona exatamente? O cartão possui botões alfanuméricos e um ecrã e-paper. O utilizador define um código único de acesso à sua carteira de passwords e pode depois registar tudo de forma encriptada. Desta forma, sempre que necessitar de uma determinada palavra-passe, basta introduzir o código no cartão e navegar até à proteção desejada.  Nesse momento o ecrã e-paper do cartão devolve o pedido com a indicação da password solicitada através de um código QR. Além do código de proteção e da encriptação, a Pitbull Wallet tem mais uma vantagem acrescida: não tem qualquer tipo de ligação, seja Bluetooth, NFC, Internet, reforçando o “colete à prova de roubo”.

A Pitbull Wallet  é mais um projeto da instituição sem fins lucrativos Instituto Onda Technology, que tem investido em projetos com capital próprio. Além deste apoio, os elementos da equipa estão a pedir financiamento online para a realização do projeto. O objetivo é chegar aos 150 mil dólares nos próximos dias – para já estão reunidos cerca de 3.000 dólares.

O protótipo funcional já está do lado do fabricante com tudo a postos para começar a produzir. O que falta garantir são, no mínimo, 6.000 encomendas.

Para obter mais informações ou apoiar no financiamento, clique aqui.