Acervo da história de Timor Leste apresentado na FEUP

A entrada é livre e gratuita (foto: e-Global.pt)

A Biblioteca da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) acolhe esta quarta-feira, 12 de julho, a partir das 11h00, a apresentação pública dos acervos documental e bibliográfico relacionados com a história de Timor-Leste e com a política internacional, acumulados ao longo de décadas pelo Professor Emérito da Universidade do Porto na FEUP, António Barbedo de Magalhães. Esta é uma iniciativa promovida pelo Serviço de Documentação e Informação da FEUP e segue-se a um tratamento inicial de preservação do acervo documental realizado no âmbito de um projeto financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian.

Os acervos documental e bibliográfico em causa consistem em dois conjuntos de documentação acumulados entre 1974 e 2007. Trata-se de livros e documentos relacionados com o drama do Povo Timorense durante a ocupação, com a sua luta pela sua dignidade, autodeterminação, independência e o papel da solidariedade, nomeadamente a que o Professor Barbedo liderou. A documentação cobre também a fase inicial de construção do Estado democrático. O acervo documenta as grandes dificuldades sentidas ao longo do processo e retrata a coragem, determinação, sabedoria e bom senso com que a Resistência fez a guerra de libertação e a paz. Retrata também a inteligência política da solidariedade portuguesa sedeada no Porto que colocou em primeiro lugar o cumprimento, por Portugal, as suas responsabilidades de Potência Administrante  até à realização do referendo de autodeterminação.

O acervo bibliográfico conta com cerca de 2500 obras catalogadas e consultáveis pelo público no 5º piso da Biblioteca da FEUP, onde ocupam cerca de 68 metros lineares. O acervo documental ocupa cerca de 105 metros de prateleiras no Arquivo da Faculdade de Engenharia e inclui os espólios de outras pessoas, nomeadamente do já falecido deputado Raul Brito, do Partido Socialista (PS), um tenaz lutador pelos direitos do Povo de Timor-Leste, e do Padre Bernardino de Queirós Alves, que mobilizou muitas centenas de pessoas, nomeadamente jovens das suas paróquias, para a solidariedade com Maubere.

Apesar do acervo documental não se encontrar disponível para acesso ao público, pretende-se que os documentos sejam digitalizados e assim possam, no futuro, ser consultados livremente por via digital.

A apresentação pública dos espólios vai incluir uma exposição intitulada ‘Solidariedade com Timor’ e a mostra de alguns exemplares dos acervos bibliográfico e do acervo documental recentemente organizado e conta com a intervenção de personalidades ligadas tanto à história de Timor como ao processo de recolha e tratamento da documentação. Sebastião Feyo de Azevedo, Reitor da U.Porto; João Falcão e Cunha, Diretor da FEUP; Jorge Augusto Pópulo, Diretor do Arquivo e Museu da Faculdade de Engenharia; Luís Miguel Costa, Diretor do Serviço de Documentação e Informação da FEUP; Lurdes Bessa, Deputada ao Parlamento Timorense que durante muitos anos apoiou as iniciativas da U.Porto sobre Timor; Max Stahl, jornalista que filmou o Massacre de Santa Cruz de jovens timorenses pelas forças de ocupação em 1991. De destacar a participação de Guilherme de Oliveira Martins, Administrador da Fundação Calouste Gulbenkian, em representação da Isabel Mota, Presidente da Fundação Calouste Gulbenkian.

Durante a sessão será ainda aberto um debate que visa analisar a possibilidade da criação de um futuro Centro de Documentação que inclua estes acervos que só foi possível guardar, preservar e tornar parcialmente públicos graças ao apoio persistente da Faculdade de Engenharia à Solidariedade com Timor-Leste, fruto da visão humanista e da missão universal da FEUP.

A entrada no evento é livre e gratuita.