180 anos da Academia Polytechnica celebrados em exposição na Reitoria

A exposição ‘Virtus Unita Fortius Agit: Academia Polytechnica’ inaugura a 2 de novembro, às 18h00, na Reitoria (foto: D.R.)

Chama-se “Virtus Unita Fortius Agit: Academia Polytechnica, 1837-1911” e consiste numa exposição que pretende agregar e divulgar documentação, informação e conhecimento produzidos sobre o ensino técnico ministrado no Porto no século XIX, particularmente na Academia Politécnica do Porto (APP) e Instituto Industrial e Comercial. A  inauguração da exposição está agendada para o dia 2 de novembro, às 18h00, na Reitoria da U.Porto e fica patente até ao dia 29 de dezembro.

Criada em 1837, a APP decorreu de uma reforma da instrução pública empreendida pelo Ministro do Reino Passos Manuel, sucedendo à Academia Real da Marinha e Comércio. Ao longo de quase três quartos de século, a Academia, distante dos cuidados da Coroa e do Governo, teve uma existência atribulada, com direito a tentativas de encerramento, reformas programáticas e asfixia financeira quase permanente. Todas as dificuldades foram sendo ultrapassadas com o apoio recebido da Cidade do Porto e com a resiliência individual e coletiva da Academia, que foi reunindo meios de apoio à transmissão e produção de conhecimento dentro das suas possibilidades.

É sobre esta história que versa a exposição “Virtus Unita Fortius Agit: Academia Polytechnica, 1837-1911”,  iniciativa integrada no programa de atividades comemorativas para dar a conhecer a história, memória e evidência material da APP e da Escola, depois Instituto, Industrial do Porto. Nela estarão patentes alguns dos instrumentos científicos, modelos didáticos, máquinas e exemplares bibliográficos que constituem a evidência material do ensino da APP e da Escola Industrial do Porto (que ocupavam o mesmo edifício, partilhavam equipamento e alguns docentes) que se encontram atualmente dispersos e agrupados em coleções museológicas distintas (Museu de História Natural e Ciência da U.Porto, FEUPmuseu e e ainda o Fundo Antigo da UPorto), contando também com o trabalho conjunto dos vários curadores destas coleções.

A exposição é de entrada livre e gratuita.

Paralelamente a esta inciativa está a decorrer, desde o mês de junho, um ciclo de palestras que pretendem dar a conhecer a história, memória e evidências materiais da APP. Intituladas “Materialidades da Polytechnica”, as sessões decorrem às quartas feiras, até dezembro, altura do fecho da iniciativa. O ciclo conta com a co-produção dos Museus de História Natural e Ciência da U.Porto, da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), do Instituto Superior de Engenharia (ISEP), do Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto (ISCAP) e do Fundo Antigo da U.Porto.