180 anos da Academia Politécnica celebrados com ‘Grandes Esperanças’ no IGUP

Imagem: Eletrómetro de Kelvin-Mascart (D.R.)

No próximo dia 22 de novembro, às 18h00, o Instituto Geofísico da Universidade do Porto (IGUP) acolhe a oitava sessão do ciclo de palestras ‘Materialidades da Polytechnica’, para abordar as “Grandes Esperanças” sentidas na década de 1900-1910.

E porquê ‘Grandes Esperanças’? Precisamente porque foi nesta altura que as obras de construção do edifício da Academia Politécnica (APP) pareciam terminar, passado quase um século do seu início. É também durante esta década que a Academia, após avanços e recuos, conquista a anexação do Observatório Meteorológico da Serra do Pilar, posteriormente nomeado Princesa D. Amélia (e atual IGUP), antecipando a possibilidade de se lecionar Astronomia e Topografia,  fazendo uso de instrumentos de observação e medida.

Neste contexto surge o Eletrómetro de Kelvin-Mascart, objeto de destaque para esta sessão, utilizado numa montagem para registar os fenómenos elétricos da atmosfera. António Pereira Leite, Professor Associado Aposentado do Departamento de Fisica e Astronomia da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP) e João Pedro Xavier, arquiteto e Professor Associado da Faculdade de Arquitectura (FAUP), são os oradores convidados.

Com entrada e livre e gratuita, esta sessão integra-se num ciclo alargado de sessões comemorativas dos 180 anos da criação da Academia Politécnica do Porto, que têm decorrido às quartas feiras ao longo dos meses de junho, outubro e novembro, culminando em dezembro, altura do fecho das comemorações. O ciclo é dedicado aos acervos do MHNC-UP, dos museus da FEUP, do Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP) e do Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto (ISCAP), e ainda ao Arquivo e Fundo Antigo da U.Porto.

O programa completo da iniciativa pode ser consultado aqui.