106 anos da U.Porto: Reitor anuncia investimentos de 45 milhões de euros

O Reitor da Universidade do Porto aproveitou a sessão do Dia da Universidade para anunciar o lançamento de um plano de reabilitação do património edificado.

O anúncio de um investimento de 45 milhões de euros para a realização de um inédito programa de reabilitação do património edificado da Universidade marcou as intervenções da sessão solene comemorativa do Dia da Universidade 2017.

Foi durante o seu discurso que o Reitor da U.Porto anunciou o lançamento deste programa de reabilitação patrimonial que, na sua primeira fase, investimento terá como prioridades as faculdades de Economia e de Belas Artes, bem como o próprio edifício da Reitoria, mas a intervenção vai também incidir na recuperação das futuras instalações da Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação e a reabilitação do Centro Desportivo e do Palacete Burmester.

Como explicou Sebastião Feyo de Azevedo no seu discurso, estas intervenções no património edificado deverão traduzir-se em “importantes melhorias funcionais, com consequências positivas na produtividade e qualidade da Universidade”. Um investimento de 45 milhões de euros que só é possível graças à “situação financeira consolidada positiva” da Universidade do Porto, pese embora os “cortes sucessivos no Orçamento de Estado que se verificam desde 2010”.

De facto, apesar do “óbvio subfinanciamento público” dos últimos anos – e que deverá manter-se também em 2017 –, o Reitor fez questão de frisar que, em 2016, a “Universidade do Porto cumpriu a sua missão institucional” e chegou mesmo a registar “progressos significativos em todas as áreas dessa missão”.

O Dia da Universidade serve também para distinguir os estudantes e docentes que mais se destacaram ao longo do ano.

Nesse sentido, Sebastião Feyo de Azevedo recordou que no último ano a U.Porto conquistou o Prémio Europeu “Excelência em Inovação e Internacionalização”, atribuído pela Associação Europeia para a Educação Internacional, tendo atingido o melhor desempenho de sempre da U.Porto no QS World University Rankings by Subject, que colocou a Universidade entre as 300 melhores do mundo em 24 áreas de ensino avaliadas.

Por outro lado, o Reitor da U.Porto lembrou também que 2016 foi também o ano que o Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (I3S) inaugurou o seu novo edifício, que o CIIMAR ganhou nova casa no Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões, ou que foi aberto à comunidade o renovado Pavilhão Prof. Dr. Galvão Telles, no complexo do Estádio Universitário.

Quanto ao futuro, Sebastião Feyo de Azevedo deixou uma mensagem de esperança: “a Universidade do Porto tem sido capaz de contribuir de forma marcante para o desenvolvimento nacional, e assim continuará, nas pontes que vai manter e fortalecer com as pessoas, com as instituições e com o Mundo”.

O Presidente do Conselho Geral, Alfredo José de Sousa, fez um balanço dos quase 4 anos de mandato daquele órgão de governo da Universidade.

Se a intervenção do Reitor encerrou a sessão, foi o discurso do presidente do Conselho Geral da U.Porto que assinalou o arranque da cerimónia. Tendo sido esta a última sesão do Dia da Universidade antes do próximo ato eleitoral para aquele órgão de governo da U.Porto, Alfredo José de Sousa aproveitou a oportunidade para “prestar contas deste exercício de quase quatro anos”.

O Juiz Conselheiro que preside ao Conselho Geral elencou as principais realizações deste órgão de governo durante o presente mandato, salientando a revisão dos Estatutos da Universidade, aprovada em maio de 2015, e a avaliação do regime fundacional – obrigatória por lei ao fim dos primeiros cinco anos de fundação.

Neste capítulo, Alfredo José de Sousa fez questão de relembrar os esforços realizados juntos do anterior e atual governo para a necessária tomada de “providência para retoma integral do regime fundacional”, nomeadamente no que diz respeito ao cumprimento do contrato-programa de financiamento completar acordado entre governo e universidades do regime fundacional.

Artur Santos Silva foi o orador convidado desta sessão, proferindo uma palestra sobre “O papel do Conhecimento na Economia da Inovação”.

No entanto,  a intervenção de fundo da sessão coube ao orador convidado da sessão, Artur Santos Silva. O presidente do Conselho de Administração da Fundação Calouste Gulbenkian e Doutor Honoris Causa da Universidade do Porto dedicou a sua oração ao tema “Do Conhecimento à Inovação: As Lições do Noroeste de Portugal”.

E nesta área, Artur Santos Silva enalteceu o “papel fundamental” desempenhado pela Universidade do Porto na formação de talento, na criação de conhecimento e sua posterior transferência para a sociedade.

De facto, o antigo presidente da COTEC Portugal deu a Universidade do Porto como um dos exemplos de maior sucesso na promoção da inovação em Portugal. Artur Santos Silva destacou particularmente a “estrutura de excelência que é o UPTEC”, responsável pela criação de centenas de projetos empresariais e quase dois milhares de postos de trabalho qualificados.

A sessão do Dia da Universidade 2017 contou ainda com as intervenções do presidente do Conselho de Curadores, Miguel Cadilhe, do representante dos estudantes, Rodrigo Medeiros, e da representante dos trabalhadores, Joana Cunha. Mas, para além dos discursos, a sessão ficou ainda marcada pelo distinção dos estudantes e docentes que mais se destacaram no ano de 2016, através da entrega dos Prémios Incentivo, dos prémios de Cidadania Ativa e de Excelência Pedagógica e com a distinção dos novos Professores Eméritos da U.Porto.